.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Grandes primeiras páginas figueirenses...

Olhem bem para esta primeira página do jornal "A Voz da Figueira", datada de 11 de julho de 1996! Para verem melhor, cliquem na imagem.
Se leram com atenção, deram conta que, passados quase 19 anos, a Figueira continua o deserto que já então era na maior parte do ano!..
Pouco mudou, para melhor, e, nalguns aspectos, como na possibilidade do exercício da cidadania numa sociedade democrática, recuámos. 
E o que é que o figueirense terá que fazer para tentar acabar com o deserto em que transformaram a cidade e o concelho?
Talvez começar por sacudir a areia da cabeça...

Os mais de 9 anos que o meu blogue tem de existência, provam que há muitas maneiras de os cidadãos tentarem intervir na sociedade em que se inserem, para além dos partidos. 
Dizer que só através dos partidos se pode fazer intervenção cívica é redutor.
Podemos fazê-lo através de diversos meios. E aqueles que, como eu, para o peditório dos partidos já deram há muitos anos, mas gostam da sua Aldeia, do seu Concelho e do seu País – pelo menos, tanto como os políticos partidários - e acreditam que têm coisas para dizer, há a obrigação de falar e recordar promessas enganadoras e mentirosas e registar e sublinhar o que entendam mereça ser elogiado. Sem colocar em causa a importância dos partidos em democracia, acredito que há democracia para além dos partidos.  
Portanto, porque o conhecimento se constrói com pedaços de saber, fica uma primeira página do jornal "A Voz da Figueira" de 11 de julho de 1996, para os contentinhos que se masturbaram com a vinda do "Corinthian", porque não conhecem o passado dos políticos figueirenses, que sempre se limitaram, ao longo de décadas, a bufar palavras incultas e promessas ocas e vãs.
   
Desde a década de 90 do século passado, comparável ao sucesso da passagem de grandes navios de cruzeiros pelo porto da Figueira da Foz, só a passagem de aviões pelo aeroporto de Beja!
Raios partam a minha memória!.. Quase me sinto a sufocar.  Quem não conhecer os políticos figueirenses, que os compre...

1 comentário:

Rui Monteiro disse...

Curiosamenta também há um Beja, a mentir (melhor, a faltar à verdade) nessa primeira página que o tempo amareleceu mas não esqueceu.
Sinais dos tempos. Tempos de palavra curta.