.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Ajustamento salarial...

Está mais do que justificado o dinheiro que o País gastou com a sua educação...

Mar da Cova

Mais fotos aqui.

Publicidade

Carnaval Escolar na Cova-Gala

foto daqui

"O programa de ajustamento foi "muito duro" ... *

"Cavaco Silva entre os chefes de Estado mais gastadores da Europa"...
("Os 16 milhões de euros anuais são um valor 163 vezes superior à presidência de Ramalho Eanes, gastando o chefe de Estado luso o dobro do rei de Espanha (8 milhões), mas ficando muito para trás quando comparado com Nicolas Sarkozy (112 milhões de euros) e pela rainha de Inglaterra, Isabel II (46,6 milhões de euros).
Cavaco Silva faz-se rodear de um regimento de quase 500 pessoas!..")

* O Presidente nos Estados Unidos...

A nova direita na Figueira...

foto sacada daqui
A situação é completamente original: a continuada incapacidade do partido do Paulo Portas na Figueira, trouxe à ribalta política local, Vânia Isabel Batista, que foi eleita presidente da Concelhia do CDS/PP.
Numa entrevista hoje publicada pelo jornal AS BEIRAS, pareceu-me trazer algo que está arredado da política,  há muito, por estes lados: uma certa ingenuidade, seriedade e franqueza no exercício da política...
“Há vários mandatos que o CDS/PP não elegia um deputado municipal. Se não integrasse esta aliança, teria sido eleita deputada e Francisca Geraldes teria sido eleita também?” – pergunta o jornalista.
“Com toda a franqueza, não me parece que fosse possível, no momento em que o partido se encontrava, sem uma Comissão Política Concelhia eleita, sem trabalho no terreno. Seria muito complicado eleger qualquer mandato. Por uma questão de seriedade, tenho de dizer isto,” respondeu Vânia Isabel Batista.
A actual crise da Figueira foi e é,  antes de mais, política, pois tem a ver com o que têm valido, na prática, os princípios e a prática dos  partidos que têm governando o concelho nos últimos 40 anos – PS e PSD, como é do conhecimento geral.
Logo que tomam o poder,  são rapidamente dominados por um clientelismo devorador que a tudo antepõe o objectivo da “ocupação” da autarquia. Só assim se passa a dispor dos  empregos, das  oportunidades e das influências.
Como se tem verificado, a oposição local, vê reduzido perigosamente o espaço para a verdade e para a acção política séria.
Com isso tem perdido, sobretudo,  a Figueira.
A democracia, cá pela Figueira, tem sido um engano.  Para muitos, nos quais me incluo, transformou-se numa terrível desilusão.
O clientelismo partidário local encontrou um aliado decisivo no “partido da câmara”. Sem este não há votos suficientes, sem votos não há “ocupação” do poder na câmara e sem esta “ocupação” não há distribuição de benefícios e prebendas entre os aficionados.
Assim  se tem vindo a construir e a exercer ao longo dos anos  o poder local figueirense que nos conduziu, como aconteceu em tantos outros municípios por este nosso país, ao desordenamento urbanístico, a agressões ao meio ambiente, ao endividamento, à estagnação, etc...
Os resultados desta traficância de favores políticos têm sido fatais para o desenvolvimento do concelho  e têm-se traduzido,  como temos visto ao longo dos anos,  no  descrédito dos políticos...
Estão a perceber porque registei aquilo que me pareceu algo completamente original e que está arredado da política,  há muito, por estes lados?..
A  ingenuidade, a seriedade e franqueza da nova direita figueirense!..
Ouçam a entrevista. Não custa nada, é só clicar aqui

A Morte dos últimos pinheiros do saudoso PINHAL SOTTO MAYOR



O blogue O Ambiente na Figueira da Foz, no passado dia 25, referiu-se ao assunto...
O que me fez recordar algumas “estórias” da Figueira, dum passado relativamente recente...
Depois do acto criminoso cometido com o aval de um executivo socialista do  final do século passado (em 1995), que permitiu a destruição maciça do verde arborizado da mata do Sotto Mayor, eis que,  já em pleno século XXI, permite-se a continuação dos erros do século passado, ao serem derrubados os últimos pinheiros ali existentes.
Isto tudo, ali bem perto de outro crime urbanístico - o do Galante -  que foi implementado pelo executivo "Social Democrata" a partir de 2003, cuja herança os cidadãos desta urbe terão de suportar por várias décadas.
Ficam  umas fotos, algumas delas com algum valor histórico...

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

“Quem se mete com o PS leva”...

Atenção a partir de agora...
Jorge Coelho está de volta...

Nunca é de mais divulgar

À atenção do Exmº Presidente da Câmara da Figueira da Foz e do Exmº Presidente da Junta de Freguesia de Buarcos...

Não vale a pena fazer demagogia... Passos está a cumprir...

Passos Coelho, há muito que confessou ser objectivo do seu governo empobrecer o país.
E está a cumprir.
Portugal, dizem as previsões de inverno de Bruxelas,  passa a ser, segundo aquele indicador, o nono país mais pobre face ao nível médio da União Europeia (28 países). Será ultrapassado pela Lituânia (76,6% da riqueza europeia média), tendo a Estónia já no seu encalço. Piores que os portugueses apenas ficam oito parceiros comunitários. Do mais para o menos pobre são: Bulgária, Roménia, Croácia, Hungria, Polónia, Letónia, Grécia e Estónia.

40 anos do 25 de Abril vão ser comemorados na Figueira

O Grupo Caras Direitas, a Figueira Viva e a Viver em Alegria vão assinalar em conjunto os 40 anos da Revolução dos Cravos.
A iniciativa vai ter lugar na sala dos Caras Direitas e consta de um jantar e um espectáculo, com música e declamação de poesia.
Dentro de um mês, a organização apresenta o programa e o preço do jantar/espectáculo. 
Entretanto, estão abertas as inscrições, que já podem ser feitas nas três instituições.

A Figueira vista da outra margem

foto António Agostinho

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro esteve hoje na Cova-Gala

Ver reportagem aqui.

Naval

A ganância ainda vai acabar por dar cabo disto tudo!..

foto António Agostinho
Sacado do facebook do eng. Daniel Santos, este extracto da informação do Engº Costa Redondo, Chefe do Serviços Técnicos da Câmara Municipal ao Plano Regulador do Plano de Urbanização da Cidade, escrito em Fevereiro de 1962:
“Por virtude das obras do porto“…”crescerá a praia de tal modo que venhamos a ter, até ao mar, um areal imenso, desértico, incómodo e impróprio para veraneio, perdendo deste modo a Figueira da Foz o seu principal motivo de atracção?”.
Diz ainda o Engº Redondo: "O certo é que, se for fixada uma largura ideal, está ao alcance da técnica, a verificar-se a previsão mais pessimista do depósito maciço de areias, manter aquela largura, ou por periódicas dragagens ou por conveniente transporte mecânico das areias para sul do molhe sul, POR BOMBAGEM."
Isso, é que é o importante...
Que interessa a barra com condições de segurança para os pequenos barcos dos pescadores!.. Que interessa a praia da Figueira - o seu principal motivo de atracção?”!.. Que interessa a erosão a sul!..
E tudo  isto aconteceu, não porque não se soubesse que ia acontecer, mas porque foi essa a vontade de quem manda...
As pessoas não contam...
O que é realmente importante são os números... Os records... Enfim, o sucesso dos gestores de Aveiro que tomaram conta do porto da Figueira..

Secretário de Estado Emídio Guerreiro vai estar daqui a pouco na Associação de Bodyboard Foz do Mondego

Via Figueira na Hora

Portugueses, sejam compreensivos, tenham paciência e não se amofinem...

O melhor povo do mundo, tem de entender, de vez,  que para o "arco do poder"  não passa de um instrumento para a glória da Nação... 

Sempre o mesmo: quem não é por mim, é contra mim...

"Ana Drago apagada da memória do BE"...

Julgamento prossegue hoje


Tal como o previsto, prossegue hoje o julgamento da morte de Manuel Pata e Clemente Imaginário  no Tribunal da Figueira da Foz.
Esta terceira sessão tem início marcado para as 09H00.
Os dois pescadores morreram a 15 de março de 2007, no rio Mondego,  no braço sul do rio, a jusante das obras da Ponta dos Arcos.
Na altura,  os trabalhos da nova Ponte dos Arcos levaram  ao estreitamento do canal de navegação.

aF220


terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Até sempre Senhor Coluna, Grande Capitão

Em 1966 tinha 12 anos e já gostava de futebol, do Sporting e da Selecção.
Tenho presente na minha memória as grandes exibições do Grande Capitão, o Senhor Coluna, no Mundial desse ano que se realizou na Inglaterra e que eu vi, graças ao dedicado Director do Marítimo da Gala, o senhor David (o alfaite que me fez os meus primeiros fatos) no velho Clube da Gala, que funcionava,  na altura, em  instalações do velho Gaia, frente ao que considero o ex-libris da minha Terra - a antiga doca da Gala.
Descanse em paz Senhor Mário Esteves Coluna, Grande Capitão.

Esta notícia é espantosa!..

A ganância ainda vai dar cabo deles caro vereador...

O vereador PS na Câmara da Figueira, António Tavares, hoje no jornal AS BEIRAS.
“Pretende a Comissão Europeia, em consonância com o Governo português, que os salários baixem até cinco por cento.
Os objectivos são sérios: baixar o desemprego, aumentar a competitividade das empresas e reduzir o endividamento do país ao estrangeiro.
A lógica é fácil de entender: a descida das remunerações diminui o preço do factor trabalho, suscitando mais contratação, reduz os custos de produção, tornando as mercadorias mais competitivas e mais “exportáveis”, e, com menos rendimento, baixa o consumo e, por conseguinte, as importações; vista assim, a economia parece fácil.
O problema é que por trás da sedutora dedução que explica as diferentes variáveis existem pessoas com necessidades reais. Apesar disto, a solução de baixar os salários parece ser sempre a forma mais fácil de resolver todos os problemas que as sucessivas crises vão gerando.
E tal acontece apesar de os empresários estarem preocupados com a diminuição do consumo, de o Governo afirmar que o crescimento das exportações está consolidado e de o ministro Pires de Lima referir que o “ajustamento” salarial no sector privado foi “o suficiente”. Repare-se, no entanto, no seguinte: em 2011, a produtividade real por hora trabalhada era, no nosso país, de 16,5 euros. Na média da zona euro era, quase, 37 euros. Na Holanda, este valor era de 46,2 euros, em França 45,4, em Itália 32,5 e em Espanha 30,2 euros, para só citar alguns países. Ou seja, mesmo ganhando pouco, com baixa produtividade, os custos do trabalho resultam elevados; e lá se vão a competitividade, as exportações sustentadas, a diminuição do desemprego. Não é, portanto, baixando os salários que vamos compor a situação; a verdadeira conquista é a da produtividade e esta depende muito mais de outros factores que o trabalho.”

Pois é: a ganância ainda vai dar cabo deles...
Recorde-se  o que  desencadeou a crise financeira: o empobrecimento das pessoas.
Este empobrecimento foi a consequência  de o crescimento da riqueza dos ricos se ter tornado superior ao crescimento total da riqueza, o que implica que passou a alimentar-se do empobrecimento dos não-ricos.
Claro que houve os produtos tóxicos, mas isso tudo só estoirou porque as pessoas deixaram de ter dinheiro para os alimentar - foi aí que eles se tornaram "tóxicos", antes disso eram fantásticos...
Consta, por aí, que a economia está a melhorar pois as exportações estão a crescer.
Todavia, sabemos que não é assim...
É óptimo que as exportações cresçam mas não são elas que marcam a economia - o que marca é o mercado interno.
Nos últimos anos, a crise financeira agravou-se  porque os portugueses  estão  a empobrecer.
Portanto, presumo eu,  a solução não passa por empobrecê-los mais...
Austeridade, para este governo e os interesses que defende,  consiste apenas em tirar dinheiro às pessoas...
A ganância desmesurada ainda vai arruiná-los...

Não é que nunca me tivesse lembrado disto, mas depois de ler que foi dito pela boca deste senhor fiquei mais confortado...

Almeida Santos"Não foi Costa que o PS escolheu para primeiro-ministro"!

Professor Marcelo, um visionário


Durante 3 dias, o PSD tentou demonstrar a mais de 900 mil pessoas desempregadas, a 2 milhões de pobres e a milhares de pensionistas e de jovens que emigraram do país que esta nobre e honrada velha nação caminha para o admirável mundo do progresso, do sucesso e da prosperidade económica.
É para isso que devem servir os assessores de comunicação contratados nos últimos tempos, pois não é fácil explicar a alguém que tem menos salário ou pensão, que não tem emprego, que emigrou ou que vive na pobreza, que o país melhora consoante mais degradada esteja a vida de quem nele vive.
Mas, isso, é capaz de ser mais difícil do que muita gente pensa...
Até as crianças sabem que "Portugal nasceu em Guimarães e o Passos Coelho não presta para nada!"
O professor Marcelo é que a sabe quase toda e anda muito à frente. Pode mesmo dizer-se que é um visionário. 
Compreendem, agora, porque é que ele dedica  longos minutos da sua homilia dominical à apresentação de trabalhos que lhe são enviados por crianças de todo o país? O professor não só anuncia o nome dos pequenos autores, como faz questão de mostrar o fruto desse trabalho às câmaras da tv e até atribui classificações e pontuações aos petizes.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Miséria chic... (II)

Figueira Chic Convidada Ema Sofia
“Desta vez é mesmo a Figueira da Foz que me serve de inspiração para a presente crónica. Vi na Figueira.TV um programa que (como é que eu hei-de dizer sem ser ofensiva?) me provocou vómitos agudos e instintos homicidas.
Trata-se da Figueira Chic: Convidada Ema Sofia (1).
A Ema é uma transsexual de enorme coragem que dá a cara e aceita ser entrevistada no dito programa, explicando a sua experiência. Diz a Ema que acha que “o mundo não é feito de homens e de mulheres, mas sim de pessoas”. Subscrevo a 1000%.

Acontece que uma das três entrevistadoras é anti-humana, assim estilo Hugo Soares, personagem-tipo à la Gil Vicente, bonita por fora e podre por dentro, uma tal de Olga (para mim uma Jane Doe total até à data e não sou mais feliz depois de a ter ouvido). Decide – imagine-se! – atacar a entrevistada e até as restantes entrevistadoras com frases como: “Tenho uma visão muito pessoal sobre a opção” de ser homossexual; “A natureza humana é um homem e uma mulher”; “Todos os desvios dessa natureza são uma opção”; “A homossexualidade, a pedofilia são opções”; “A natureza é só uma: um macho nasce macho, uma fêmea nasce fêmea”; “Vou tentar ajudá-lo a encontrar o caminho certo” (a um imaginário filho homossexual, espero eu, que nem tod@s devem procriar); “A tua opção [de se tornar transsexual] foi Egoísmo.

É-lhe extraordinária a podridão reaccionária, a estupidez ofensiva, camuflada de esperteza e maquilhagem. Como é que dão tempo de antena a uma personagem da idade média? É por causa da carinha laroca?! Sinto-me profundamente ofendida com o nojo que lhe saiu da boca.”

“A Osga: Chic por fora, Podre por dentro” –  uma opinião desassombrada de FILIPA ALVIM, via Figueira na Hora. 
Para ver o  programa clicar aqui
Termino com as palavras da FILIPA ALVIM, que não conheço, mas a quem aproveito para felicitar pela sua coragem: "os meus sinceros parabéns à Ema e às outras duas entrevistadoras, verdadeiramente humanas, inteligentes e claramente pessoas do séc. XXI."

Francisco Assis, o candidato de Seguro...

daqui
Defensor de blocos centrais, hábil em despistar-se com Clios,  um discípulo de Blair e outros cangalheiros da social-democracia europeia na economia.
Francisco Assis está para a esquerda como Paulo Fonseca para os adversários do FC Porto: é um abono de família...

Um golo na própria baliza

Na minha opinião, a  crónica de Miguel Almeida, vereador Somos Figueira,  nas  Beiras de hoje, sobre “a força das convicções”,  é um golo na própria baliza.
Nomeadamente, refere "exemplo que o presidente do PSD e primeiro-ministro de Portugal tem dado ao longo dos últimos três anos", isto é, a implementação das chamadas reformas, que mais não foram que retrocessos civilizacionais, sociais e humanitários.
Essas chamadas reformas nivelaram por baixo, cortando
Quase todos empobrecemos. Mesmo os que ainda trabalham, empobreceram - rapidamente e em força! 
Reformar  é outra coisa -  é criar eficácia e eficiência para criar riqueza.
Mas, isso eles não quiseram - nem saberiam fazer.
Passos limitou-se a realizar o óbvio:  reduzir Portugal ao seu próprio nível.
Recordo ao Miguel e aos leitores, que Portugal teve no  Século XX  outro líder carismático que se manteve fiel às suas convicções, sem transigir, que infundiu respeito e admiração aos seus seguidores, temor aos seus adversários,  sem medo de fazer rupturas, sem bens próprios, sem vida para além da ideologia que aprendeu a amar, sem uma única dúvida visível, que se manteve, até ao fim, fiel a si mesmo e ideais de sempre, um homem cujo traço é o da firme coerência e a determinada fidelidade às suas convicções.
Todos sabemos quem foi e onde conduziu este País...
Fica a citação de parte da crónica do Miguel.
“Cada vez mais as pessoas se afastam da política partidária, muito por culpa de todos nós, actores políticos, já que muitos não resistem à tentação de ceder nas mais fortes convicções, trocando-as pelas modas mais mediáticas, a cada momento. É por isso mesmo muito importante o exemplo que o presidente do PSD e primeiro-ministro de Portugal tem dado ao longo dos últimos três anos.
Pode ou não concordar-se com as políticas do Governo, que, indiscutivelmente, têm sido muito duras para a esmagadora maioria das pessoas, mas é imperioso reconhecer que nunca vacilou, nunca cedeu ao caminho mais fácil e nunca teve medo da afirmação das suas convicções.
Este caminho para retirar o país da banca rota em que estava em 2011 começa agora a ser percecionado como assertivo. Confesso que eu próprio em muitos momentos tive dúvidas de que este seria o único caminho que nos restava, mas os indicadores macro económicos que agora são conhecidos validam as opções de Pedro Passos Coelho.”

O que sobrou do congresso...

Não muita coisa, mas sobretudo a  ausência dos discursos e dos conteúdos políticos do congresso do país e as pessoas. 
Nuno Morais Sarmento, no sábado,  ainda alertou.
"Temos de dizer aos portugueses como vamos viver".  É necessário ir além das "estatísticas" e das "folhas de excel" e apresentar  aos portugueses uma "esperança nova que tem que ir mais longe e dizer mais do que a moção de estratégia" de Passos, com "mais pessoas" e "mais política" e a capacidade de recuperar o lado "imaterial" da política e devolver às pessoas a capacidade de "sonhar".
Sobrou Marcelo Rebelo de Sousa, o malhador...
E pronto: chegou ao fim o   “congresso” do PSD.
Ouvi-lhe chamar também “concentração de mata-velhos”, mas nem me atrevo a abordar esse assunto, pois sei que existem alguns leitores susceptíveis e outros piegas...

2 e 4 de março há Carnaval na Cova-Gala

foto Pedro Agostinho Cruz, sacada daqui
Nelson Gafanhão e Mariana Imaginário, Reis de Carnaval de S. Pedro 2014, “mostraram-se” na  tarde de ontem.
O Cortejo Trapalhão vai acontecer no próximo Domingo, 2  e Terça, 4 de março, pelas 15 horas, com início no Largo da Praia...
Depois a  Cova-Gala  vai brincar ao Carnaval, com o seu desfile "desorganizado" pelos aldeões.
Portanto, ficam a saber,  que por estes lados, nos  dias 2 e 4 de março, vai haver trapalhice e folia, com Rei e Rainha da terrinha (para rimar), a aldeia vai brincar até se fartar...
Carnaval trapalhão, pois então...

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Laranja, mais laranja não há... (V)

No momento em que publico este post, Passos Coelho ainda está a discursar na cerimónia de encerramento do XXXV Congresso do PSD, que se realizou no Coliseu dos Recreios de Lisboa este fim de semana.
Só tenho um comentário a fazer ao que já ouvi...
Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida. Temos de mudar de vida...

Laranja, mais laranja não há... (IV)

Ontem, pelos vistos, foi dia das surpresas!..
Segundo o Sol, “os congressistas preparavam-se para ir jantar quando ouviram anunciar que Marcelo era o próximo orador. Voltaram para trás para ouvir o momento mais emotivo e divertido do congresso...”
Marcelo contou que decidiu no avião que o trouxe da Madeira vir ao congresso. “Vim aqui por uma razão afectiva”, repetiu. Ainda hesitou, contou, quando uns amigos lhe disseram: “isto vai ser mal interpretado, parece que te estás a fazer a qualquer coisa”. Mais risos.
Não se ficou pelo registo emotivo. “Já que vim queria dizer três ou quatro coisas racionais”. Uma delas é que o PSD “continua a ser um partido livre”. “Eu sou a maior prova disso, quando falo todos os domingos”, ironizou.
Mas, ontem,  houve mais surpresas!..
Também por lá apareceram Mendes e Santana... Faltou a Manuela para o trio com muita lata ficar completo...
Precisamente o grande Relvas - o tal que ia para o Brasil!..

“O Ecoponto falhou”...

João Vaz, consultor de ambiente e sustentabilidade, na crónica semanal no jornal AS BEIRAS.
“Na Figueira da Foz, um concelho relativamente próspero, as taxas de reciclagem não ultrapassam os 10%. Ou seja, 90% dos “recursos” que deitamos no contentor não são aproveitados. Em Itália e Espanha, países com cultura cívica idêntica à nossa, há cidades que apresentam taxas de 50% de reciclagem...”
Os números são os números... 

Bom domingo

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Laranja, mais laranja não há... (III)

E o teu PSD tem sido a desgraça do bolso da esmagadora maioria dos portugueses!..

Laranja, mais laranja não há... (II)

 “Não deixar ninguém para trás" era uma promessa de Passos, quando se lançou nas eleições de 2011.
Até Marcelo está no Congresso!..
Mas, agora, está a falar Passos...
Vou dar uma volta.
Depois, se me apetecer, vejo o resumo...

Laranja, mais laranja não há...

Via RTP informação fiquei há poucos minutos a saber que Miguel Relvas encabeça lista de Coelho à Comissão Nacional...

"Taxa de pobreza em Portugal é das mais elevadas da UE"

Era só para recordar que Portugal, infelizmente, não está melhor...
Bom dia.

E não é anedota!..

O sem abrigo de 33 anos foi detido pela PSP por suspeita de furto, no passado dia 16, em Lisboa. Presente a tribunal, o juiz constituiu-o arguido com termo de identidade e residência. Uma ironia do sistema. É que esta medida de coação não foi concebida a pensar nas pessoas que não têm residência. O homem detido no Beco da Galheta não tem casa, vive nas ruas, mas fica obrigado pelo tribunal a não mudar de residência nem dela se ausentar por mais de cinco dias sem comunicar a nova morada ou o lugar onde possa ser encontrado. Quando foi detido pela PSP no Beco da Galheta, em Lisboa, o sem abrigo tinha na sua posse 1165 euros em dinheiro, uma carta de condução roubada e cartões de memória micro USB. Questionado pelos agentes, disse ter encontrado os bens na via pública. Os bens foram apreendidos à ordem do Ministério Público.

Felizes por mais uns tempos...

"Julgo que ninguém tem dúvidas de que estamos melhor, mas pagou-se um preço muito elevado por estarmos melhor", declarou Pedro Passos Coelho, ontem à noite, na intervenção de abertura do XXXV Congresso do PSD, no Coliseu dos Recreios de Lisboa, em que fez um balanço dos últimos dois anos.
Disse o que era aguardado. Esta semana,  o PSD tem feito tudo  para nos fazer crer que o crescimento da Economia, deixou de ser incipiente para ser na verdade uma retoma verdadeira e sustentada.
Para eles e para o CDS, um sucesso.
Para nós, cidadãos portugueses normais, não vai passar de mais austeridade e fome, como veremos já a seguir.
Mas eles sabem da poda e montaram o espectáculo com um cenário de luxo.
Trouxeram a revista The Economist a Portugal para organizar um Seminário, com  estrelas internacionais do mundo das Finanças, criteriosamente seleccionadas.
Nada  ficou ao acaso na preparação psicológica do espectáculo em cena este fim de semana no Coliseu dos Recreios: o congresso do PSD de artista único, o cantor  falhado e dado pouco à verdade, Dr. Pedro Passos Coelho.
O ambiente foi  cuidadosamente montado – vão ser narradas muitas estórias, com acusações aos partidos da oposição e aos sindicatos, que vão passar para o país pelas televisões, rádios e jornais da maneira planeada pela máquina de propaganda do PSD.
Porém, uma coisa é a ficção e outra a realidade, pelo que este pode ser  o último Congresso laranja a eleger  o cantor falhado Pedro  Passos Coelho.
Ele  não governa mas continua convencido que governa, mas a realidade é que não governa e os portugueses conhecem-nos cada vez melhor.
A esperança e a  alegria de viver que o Portugal de Abril nos trouxe, desapareceu com ele.    
Mas nada é definitivo e Passos vai sair de cena  mais rápido do que pensa.
Entretanto, porém, teremos  teatro neste  fim de semana.
Nas paredes, desapareceram os cartazes dos concertos. Deram lugar a uma série de posters com frases de glória e éden: "Mercado de trabalho recupera!", "Confiança dos consumidores renovou máximos!", "Exportações continuam a subir!".
Tudo cheio de pontos de exclamação para sublinhar o regozijo laudatório e fermentado com parágrafos de economês.
O  pano subiu ontem à noite no Coliseu  e eles ainda vão ser felizes  por mais uns tempos!..

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Mais um problema para a Europa...

«Vou destruir-te como me destruíste», terá dito ValérieTrierweiler a Hollande...

A apagada e vil tristeza a que chegou o futebol distrital em Coimbra...

O Vigor está indignado com a forma como tem sido tratado pela Associação de Futebol de Coimbra e seu Conselho de Arbitragem  e não foi de modas: pediu a demissão do presidente e do vice-presidente da direcção da AFC e também do CA.
Recorde-se: tudo começou no jogo Vigor-Poiares, que terminou com a expulsão de seis jogadores locais.
Entretanto, no sábado,  no jantar de aniversário do Vigor, tudo se agravou.
Mário Fernandes, presidente do emblema de Fala, dirigiu-se à AFC “não a agradecer, antes pelo contrário”, por entender que o Vigor “deve merecer mais respeito e tem sido mal tratado pelo CA e pela própria direcção da AFC”.
As críticas do presidente Mário Fernandes não caíram bem junto de Fernando Ferreira, vice-presidente da AFC, que se encontrava presente no jantar.
No dia seguinte, o dirigente da associação que tutela o futebol distrital escreveu no seu facebook a seguinte mensagem: “A ingratidão. Foi como fui brindado numa noite que devia ser de festa, mas substituída por atoardas e falta de respeito com a instituição que represento”.
Apolino Pereira, o eterno  presidente do CA, comentou: “Pois não sei do que se tratou, mas eu infelizmente sou pequenino, mas com umas enormes costas, e os comentários dos ignorantes esbarram na couraça da minha indiferença. Há abutres e mal intencionados em todos os quadrantes. Os cães ladram e a caravana avança! Força Fernando”.
No mesmo dia, a AFC enviou um faxe ao Vigor, terminando a reserva de utilização do pavilhão para a realização dos treinos de árbitros de futsal, mas não sem antes de Horácio Antunes ter enviado um sms a Mário Fernandes ainda na noite do jantar, com o seguinte texto: “Não tens vergonha nenhuma, nem educação”.
Confrontado pelo jornal AS BEIRAS com as declarações do Vigor, Horácio Antunes, presidente da Associação de Futebol de Coimbra, esclareceu:  “na altura, transmiti a Mário Fernandes, sempre com máximo de amizade, porque, além da figura institucional sempre existiu forte relacionamento de amizade, que não era possível qualquer actuação por parte da direcção da AFC, porquanto havia relatórios assinados, quer do árbitro quer de um observador, e que só o Conselho de Arbitragem  e o Conselho de Justiça, em sede própria, poderiam intervir”.
Foi, aliás, o que sucedeu, disse ainda  Horácio Antunes, lembrando os castigos aos “jogadores expulsos, treinador e dirigentes no banco, todos com a pena mínima aplicável, porque insultos ao árbitro têm pena de dois a seis jogos”...
Perante isto, que acabei de ler no jornal AS BEIRAS, apenas tenho a dizer o seguinte: anda para aí muita algazarra e as coisas estão a correr mal. Mas,  nunca se esqueçam, que ainda podem vir a correr pior...
A promiscuidade entre o futebol e a política é grave, mas, mais grave que isso, é a própria promiscuidade e a falta de coragem...

A demagogia e a propaganda no seu melhor. Não fosse a realidade e o meu voto no PSD estava assegurado...

Na véspera do 35.º congresso do PSD, que começa esta sexta-feira em Lisboa, o líder da bancada parlamentar Luís Montenegro considera que "a vida das pessoas não está melhor mas o país está muito melhor" e acredita que os portugueses saberão reconhê-lo nas legislativas!..

Miró

“Em 1999 fiz uma exposição de pintura, na Galeria da Livraria Portuguesa, pertencente ao Instituto Português do Oriente, em Macau.
Este facto nada teria de comum com a questão levantada pela “exportação” de quadros de Miró, não fora a circunstância de me ter sido exigido, para a saída das telas, de uma declaração, ou licença, da entidade oficial competente para o efeito, de que os trabalhos poderiam sair de Portugal. As obras de Miró, um dos maiores pintores do surrealismo, ao lado de Dali e Max Ernst, ainda ninguém entendeu como “viajaram” legalmente, até Londres.”


António Augusto Menano, escritor, hoje, na sua habitual crónica das sextas no jornal AS BEIRAS.

Futebol distrital: no domingo há jogo grande na Cova-Gala

Depois de há dois domingos ter tido uma derrota expressiva em S. Silvestre (5-1) na jornada do último fim de semana  o Cova-Gala folgou.
O  S.Silvestre,  na  difícil deslocação a Coimbra, venceu um tanto surpreendentemente a Académica por 2-0, aplicando assim a primeira derrota ao primeiro classificado.
Depois de amanhã, domingo, pelas 15 horas disputa-se a última jornada desta fase.
Para obter o segundo lugar o Cova-Gala tem de vencer a Académica, no Cabedelo e esperar que o Vinha da Rainha perca pontos em S.Silvestre.
Neste momento, o GDCG ocupa o  3º  lugar com 30 pontos, mais dois que S.Silvestre, 4º  com 28 pontos, menos um do que o Vinha da Rainha, 2º - 31 pontos e menos oito do que a Académica 1º -38 pontos.
Mais pormenores aqui.

O Portas não passa de um plagiador. O irreversível já vem de longe!..


quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

No fundo o reajustamento é isto:

Portugal, como sabemos,  é um dos países europeus com mais concentração de rendimentos nas famílias mais ricas: um décimo das famílias portuguesas concentra 27,3% do rendimento global amealhado por todas durante um ano.
Portanto, está-se mesmo a ver que o que Portugal está a precisar é de baixar salários entre 2% e 5%!..
Conclusão e moral da história: os sacrificados são sempre os mesmos - os que trabalham.
Tem sido sempre sempre assim e, pelos vistos, não pode  ser de outra maneira...

Teatro no Clube Mocidade Covense


Festival da lampreia e do sável até domingo num restaurante perto de si...

A Associação Figueira com Sabor a Mar inaugurou a primeira temporada de eventos gastronómicos com o Festival da Lampreia e do Sável. O evento gastronómico serve-se à mesa dos 11 restaurantes aderentes, até ao próximo domingo.

Para sul da Praia do 5º molhe, na Cova-Gala...


Esta foto do Pedro Agostinho Cruz, mostra bem aquilo que quem se deslocar ao local, vê com preocupação: a duna primária entre a Cova e a Costa de Lavos está a desaparecer. O mar há dois meses que entra com facilidade no pinhal.
A foto de cima, do mesmo fotógrafo, data de 2010 e mostra o areal imenso, que se estendia, entre a praia do 5º. molhe, na Cova e a Costa de Lavos.
Era uma paisagem avassaladora, de tão bonita!..
Inspirava ao descanso, à tranquilidade e à renovação do corpo e da mente.
Oxalá que volte a ser assim, natural e bonita.
Os homens governantes, muitas vezes, com intervenções pouco felizes, transformam e estragam.