.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Uma reportagem a ler na edição de hoje...

Segundo o jornal AS BEIRAS, "até 24 de agosto, as valências do HDFF mais afectadas eram a cardiologia, dermo-venereologia e pneumologia, com, respetivamente, 65, 49 e 30 por cento de falhas dos prazos determinados pela tutela da Saúde. Aquelas especialidades médicas encontram-se, portanto, a vermelho, às quais se juntam, ainda, embora em menor escala, ortopedia (11 por cento) e gastrenterologia (sete por cento)." 

1 comentário:

Anónimo disse...

O atual Presidente do Conselho de Administração, durante anos, tem sido um homem do sistema, que corre conforme a bandeira politica se desfralda, e está a ver, se mais uma vez, colhe ventos favoráveis e à bolina segue na tripulação dos grandes oficiais do barco - Hospital Distrital da Figueira da Foz, preferencialmente ao leme, para acabar a carreira em almirante.
Este senhor nada fez, do que tratar da vidinha. Alguma vez qualquer coisa pelo hospital? o TANAS! Foi sempre contra a construção da nova urgência e do pavilhão das consultas externas. Se hoje, o Hospital não tivesse estas infraestruturas, há muito que já tinha sido desclassificado, e agora nem uma urgência básica tínhamos- com um dedo fraturado teríamos que ir `"entupir" a urgência do CHUC, já de si entupida com os utentes dos Covões. Mas, este senhor e a anterior Administração falam em excelentes resultados financeiros e prémios de produção, e bandeiras aliadas com o Presidente de Câmara, este último, que de saúde percebe como de lojas e mercearias de fim de semana. O bom da criação do SNS não esteve apenas no acesso gratuito à saúde, mas sim no acesso universal à qualidade dos cuidados de saúde. Ora, em termos de qualidade, este hospital, e outros do país, estão "privatizados", ou seja, o seu quadro de pessoal de saúde está envelhecido e precarizado, recorrendo à externalização dos serviços privados. Hoje os doentes são atendidos por médicos e profissionais de empresas externas ao hospital, de qualidade duvidosa. E existem especialidades médicas, que de todo, não dá lucro suficiente a estas empresas para prestarem serviço, pois o CHUC e as suas clinicas absorvem a maioria dos clientes bem pagantes. Infelizmente, a CDU e outros políticos, continuam preocupados com os nascimentos na A14, enquanto os senhores professores médicos - Olivas, Cordeiros, Nascimentos Costas, Sanfil, Idealmed e outros mais, enchem os cofres do vil metal.. e os Albinos, Afonsos e demais policolores políticos, fazem o joguinho dos "interesses instalados".
E, os enfermeiros são uns pulhas, pá!