"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Aprovado mais um novo supermercado na Várzea e bombas de abastecimento de combustíves em Buarcos??!!..

A Várzea de Tavarede, tida como a zona da Figueira com melhores terrenos agrícolas, está completamente betonizada com grandes superfícies comerciais – Pingo Doce, AKI e o LIDL. Mas vem aí mais...
A Várzea de Tavarede e São Julião começou a ser destruída no consulado de Aguiar de Carvalho aquando da construção das Avenidas em cima de quintas agrícolas, ao invés de construir em terrenos sem uso agrícola mas já cozinhados, na altura, entre a CMFF e a empreiteira Lurdes Baptista para futuros loteamentos … 
Nesta zona da Várzea de Tavarede e São Julião e agora também Buarcos, foi igualmente proposto o Parque Verde da Cidade na campanha politiqueira de 2009 deste executivo camarário (tal como, propôs igualmente Santana Lopes).
Em vez de zona verde, cuja implementação foi nula, os governantes figueirenses, ao contrário do prometido, tiveram foi  vontade efectiva e rapidez em legalizar a construção do Pingo Doce, do AKI e LIDL no mesmo espaço projectado para o referido Parque Verde…
Duarte Silva, recorde-se, em parceria Aprigiana também tentou betonizar esta zona com um Centro Comercial operacionalizado por um ex. futuro assessor …
Na Assembleia de 12 de Outubro de 2012 que sepultou a freguesia de São Julião (cuja acta nunca foi publicada no site da CMFF), a Freguesia de Tavarede escapou à extinção ou agregação com uma prenuncia justificativa muito “delirante” de que é uma Freguesia somente RURAL… Tão rural que detém as maiores urbanizações do concelho da Figueira da Foz e maior concentração de superfícies comerciais!
A saber: Intermarché; L.leclerc; FozPlaza – Jumbo. Na Várzea “tida como a zona da Figueira com melhores terrenos agrícolas” tem o Pingo Doce, AKI , o LIDL… 
E agora isto, um furo jornalístico: segundo informação que nos chegou, já foi aprovado o novo "Mega Continente com shopping para a Várzea. São 40 mil m2 de impermeabilização de solos."!
Registe-se: agora, com o novo PDM pode-se construir mais. Com o novo PDM passou de 9 para 16 mil metros o índice de construção.

E, já agora, mais esta notícia em primeira mão: na zona do Modelo de Buarcos, já compraram o terreno ao lado, para instalar umas bombas de gasolina.
E assim vamos indo: como escrevemos há um ano, de parque verde a retail park...
Este executivo camarário já só engana quem quer ser enganado: é mais do mesmo - o poder económico e o lobby imobiliário continuam a ser mais importantes do que as legítimas aspirações dos cidadãos.
Para este executivo, o Plano de Urbanização e o PDM, continuam a ser o que sempre foram: uma espécie de banco privativo, ao qual recorre para financiar actividades de gestão corrente,  hipotecando o futuro e a qualidade de vida dos figueirenses.

1 comentário:

Anónimo disse...

Quando se aprova um novo equipamento numa cidade, tem-se por principio que esta aprovação estava inserida num plano estratégico de desenvolvimento e que não é mais uma medida avulsa para satisfazer interesses instalados e foi alvo de estudos de impacto ambiental e social. Partindo desta premissa e tendo em conta que as pessoas designadas para os cargos decisórios através do voto o façam em prole da comunidade e do bem comum, não se entende que nesta cidade se insista na betonização do espaço publico ( caso do parque da cidade que para quem não saiba já estava projectado antes do 25 de Abril com a criação de infraestruturas para o desporto e lazer)sem darem uma justificação á comunidade e esta aceitar passivamente repetidamente estas situações sem haver o mínimo de escrutínio.
Aquando do projecto do Aprígio para esta mesma zona apesar da dimensão, não estaria contra tendo em conta que além do centro comercial haveria um equipamento desportivo, se como na Europa e aproveitando os incentivos dos fundos europeus para minimizar o impacto destas construções se aproveitasse para construir o parque da cidade na envolvente deste equipamento, minimizando assim a especulação dos terrenos á sua volta e oferecendo uma área á sua população. Estas ideias foram veiculadas mas não aproveitadas...portanto mantemos-nos no rumo que nos tem levado até aqui.