.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

António Tavares, escritor premiado, vereador e militante do PS, recebe voto de congratulação da AM, por unanimidade, apresentado pela CDU!..

O político, que nos anos imediatamente anteriores a 2009, na oposição,  levou de novo à presidência da câmara, ao colo, um PS então afastado do poder local há doze anos, foi felicitado pela Assembleia Municipal da Figueira da Foz, na sessão  realizada esta tarde, pela atribuição, no passado dia 13 de outubro, de "O Prémio Leya 2015", por ter escrito o romance O Coro dos Defuntos.
Eu, que não sou de intrigas, achei bem que a Assembleia Municipal tivesse aprovado, por unanimidade, o voto de congratulação pelo êxito literário do militante e vereador do PS, António Tavares.
Como acontece, sempre que posso, estive no salão nobre dos paços do concelho e assisti, ao vivo, ao momento.
Estranhei, apenas, um pormenor: ao contrário do que seria natural e normal, o voto foi apresentado pela deputada municipal Silvina Queirós, da CDU.

Quanto a mim, algo se passa com a bancada do PS na Assembleia Municipal: também aqui (como aconteceu, outras vezes ao longo da tarde de hoje...) foi ultrapassada e, mais uma vez, saiu diminuída
Não gostaria de acreditar, que a apresentação de um voto de congratulação pelo importante prémio pecuniário, literário e de prestígio, praticamente acabado de ganhar pelo seu militante, vereador executivo  e escritor, o que aliás, seria o mais normal e natural, não tenha sido apresentado pelo PS/Figueira, apenas pela pequena  intriga e conspiração política figueirinhas, que resulta da precipitação, cega e voraz, resultante do vício da luta interna pelos lugares políticos no interior dos partidos de poder.
Para mim, que não sou de intrigas, e nunca tive apetência pela militância partidária, continua a ser chocante a luta de facções no interior dos partidos.

Sem comentários: