"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Em comunicado, "o PSD lamenta, que os actuais responsáveis pela governação da Figueira da Foz não entendam que não é prejudicando a retoma económica e o desenvolvimento turístico da região que podem seduzir os figueirenses nas próximas eleições"....

A Concelhia do PSD/Figueira, via comunicado reagiu à notícia sobre a câmara ter votado contra o relatório do plano de actividades da Turismo Centro de Portugal, na assembleia geral da entidade regional de 30 de abril.
Recorde-se: a autarquia foi representada pela vice-presidente, Ana Carvalho e foi o único entre os 100 municípios com assento na assembleia geral da Turismo Centro de Portugal que votou contra o relatório do plano de actividades.

Em comunicado, a concelhia local socialdemocrata afirma que ao votar diferente dos restantes 99 concelhos que integram a ERT, muitos deles socialistas, o PS instalado na câmara municipal isola-se do resto da região e prejudica a Figueira da Foz”. No mesmo documento, pode ler-se também: “de facto, até o presidente da entidade regional, Pedro Machado, ter assumido ser candidato [do PSD] à presidência da Câmara da Figueira da Foz nunca antes o PS (…) tinha votado desta forma”. A seguir, vêm os elogios ao presidente da TCP e candidato do partido. “O trabalho de Pedro Machado ao serviço da região, enquanto presidente da TCP, é reconhecido, a nível nacional e internacional, e a Figueira da Foz foi largamente beneficiária da sua competência e seriedade no cargo”. “O que Pedro Machado nunca fez, nem fará, é usar a sua posição para, prejudicando ou beneficiando um concelho, tirar dividendos políticos, como agora faz a presidência da câmara”, afirma ainda a estrutura partidária liderada por Ricardo Silva. 
Na edição de hoje do DIÁRIO AS BEIRAS, o presidente da câmara e da Concelhia do PS e candidato à presidência da autarquia, Carlos Monteiro, afirma que “quem decidiu sair da Região de Turismo do Centro, no passado, foi um executivo camarário do PSD”. E acrescenta:  “um número significativo de críticas à TCP tem sido feito por vereadores eleitos em listas do PSD”. “Nós limitámo-nos a constatar que o plano de actividades evidenciava aquilo que vínhamos a acompanhar, ou seja, que a Figueira não tinha praticamente nenhuma visibilidade e, nessa perspetiva, votámos contra”. Disse ainda Carlos Monteiro, “os contributos que a TCP tem dado no Conselho Municipal de Turismo são zero e a resposta aos pedidos de apoio feitos este ano também são zero”.

Sem comentários: