.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Uma opinião: a minha

Percursos profissionais, credibilidade, cores políticas, gostos pessoais, legitimidades democráticas e as escolhas do povo figueirense. A crise que vivemos na Figueira com a pandemia do COVID19 que, espero, não venha a atingir as proporções já vividas noutros concelhos, pois se acontecer alguém que nos acuda... 
a minha opinião, que é minha e só a mim responsabiliza, sobre a vereadora do pelouro da Acção Social, Diana Carina Pereira Rodrigues, de quem só conheço o que é público: as suas competências académicas, a sua actividade profissional (na Câmara Municipal da Figueira, entre 2016 e 2018, antes de ser vereadora) e a sua actuação enquanto política: membro da Assembleia de Freguesia de Tavarede e Vereadora da câmara Municipal da Figueira da Foz. O resto já sei do que a casa gasta: quem se mete com o PS, leva. Na minha opinião, a vereadora da Acção Social não tem arcaboiço e nem conhece a "sensível" realidade com que está a lidar nas funções políticas que está a desempenhar. E é só isso, para mim, que está em causa. Não conheço a pessoa, mas conheço a sua actividade política como vereadora, melhor do que 90% da minoria dos figueirenses que votaram na  lista que venceu as últimas eleições autárquicas na Figueira da Foz. É verdade que a abstenção não coloca em causa a legitimidade dos eleitos. Contudo, torna-os vulneráveis,  enfraquece a consistência social e política da sua representatividade e menoriza a democracia representativa. "Em concreto, o valor da abstenção tem vindo a crescer significativamente na Figueira da Foz: 40,63% em 2001, 42,55% em 2005, 42,78% em 2009 e 52,29% (!) em 2013." Em 2017 os resultados foram estes: 

Num universo de 56 841 inscritos com capacidade para votar, 14 199 votantes deram a maioria absolutíssima à lista vencedora. Mas, isso, interessa pouco aos políticos no poleiro. O importante, para eles, é garantir o "tacho", nem que para isso se tenham de prestar a todas as "panelinhas".
Mas vamos ao essencial.
Membros das Assembleias de Freguesia de Tavarede




Sem comentários: