Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

“Não deixo o meu país sem orçamento”




Paulo Portas, é a prova provada e viva de que não há memória na política portuguesa.
E os culpados somos nós e a nossa falta de memória colectiva, enquanto povo, que permitimos e aceitamos que Paulo Portas, qual político responsável e preocupado, diga com toda a naturalidade: “Não deixo o meu país sem orçamento”.
Cliquem aqui e ouçam o vídeo.

Sem comentários: