Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Haja "tininho"!...

Perdemos a final com os Gregos e, agora, em tempo de crise, passados todos estes anos, “Braga, Aveiro, Coimbra, Leiria, Faro e Loulé têm mais um problema: a factura dos estádios construídos a pensar no Euro 2004. Só em encargos com a banca, as seis câmaras pagam, por ano, mais de 13 milhões de euros.”
Mas, há quem pense, que ainda não é suficiente. “Não obstante serem os grandes responsáveis pelo endividamento das autarquias, há quem não tenha medo de novos financiamentos. O presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madail, revelou, em Outubro do ano passado, que os estádios de Braga e Algarve também poderiam, para além de Luz, Dragão e Alvalade, emergir como opções para a candidatura ibérica ao Mundial 2018/22, o que envolveria, em qualquer dos casos, um aumento da lotação em mais 12 mil lugares. A autarquia minhota mostrou-se disponível, apesar de, num endividamento global de 80 milhões de euros, apenas quatro milhões não serem imputados ao Estádio AXA.”
Ainda ontem, no Estádio Cidade de Coimbra, apenas cerca de 2100 pessoas assistiram à
partida entre a Académica e a Naval!...

2 comentários:

António disse...

2100? E tudo da Académica!

COLECTIVO MARAVILHAS ASSOCIAÇÃO disse...

E uma pena que esta Figueira, a nivel nacional, só seja falada para o bem e para o mal a custas da Naval, mas devo lembrar o Sr. antónio do comentário anterior que, além da nossa Claque que está presente em todos os jogos da NAVAL, também alguns FIGUEIRENSES lá estavam perfazendo talvez cerca de 100 NAVALISTAS. 5% dos presentes
numa noite de futebol TV às 18Hoo com 3 Graus de temperatura, se calhar fizemos mais que o senhor que critica e nem se deixa identificar. Temos pena que assim seja, mas a luta continua, ALLEZ NAVAL ALLEZ