Sou o senhor de meu destino; Sou o capitão de minha alma.” William Ernest Henley

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

A Figueira não é uma cidade com sorte?...

Imagem via Diário as Beiras

Remodelado em 2005, o jardim municipal e a zona envolvente estão ser alvo de requalificação
O projecto foi apresentado na reunião de câmara realizada no dia 15 de Julho de 2019.

Em Junho de 2020, a Câmara da Figueira da Foz lançou o segundo concurso para a requalificação do jardim municipal e ruas envolventes. O preço base foi de 1,3 milhões de euros

Recordo: estávamos em 2020.  

1. O primeiro concurso ficou deserto. Os potenciais interessados consideraram baixo o valor apresentado pela autarquia para a obra. 
2. "Os 300 mil euros em Março de 2019 passaram a 800 mil em Julho do mesmo ano. 
A requalificação do Jardim Municipal e envolvente, qual leilão, foi arrebatada  por 1 milhão e 200 mil (reunião de câmara de 8 de Novembro de 2019, com votos a favor de 2/3 da “oposição”, apesar de considerarem o projecto “desnecessário”). 
3. Segundo o apurado pelo OUTRA MARGEMem Janeiro de 2020 já se admitia que o valor podia atingir 1 milhão e 400 mil euros!.. Fora o imprevisível!
4. Seis meses decorridos, em Junho de 2020, a Câmara da Figueira da Foz lançou o segundo concurso para a requalificação do jardim municipal e ruas envolventes. O preço base foi de 1,3 milhões de euros
Estamos a falar de um jardim do tamanho de um campo de futebol. Se um figueirense tem dificuldade em perceber um investimento deste tamanhão, como é que se explica este número ao resto do concelho?

Penso que ninguém desconhece (apesar das tentativas feitas, em devido tempo, para contribuir para o pensamento e discussão da obra, que foram ignoradas), que esta intervenção no Jardim Municipal tem ainda a imagem de marca do anterior executivo, atirado borda fora pelo eleitorado figueirense nas últimas autárquicas: deficiente pensamento, mau planeamento e péssima execução das obras municipais promovidas pela câmara Municipal da Figueira da Foz de gestão e maioria absoluta PS.
Esta obra, pelo histórico que já tem, é um berbicacho. E dos grandes.
Santana Lopes sabe isso. Mas não é com publicidade política nos jornais que se resolvem os problemas. 
Reconheça-se, porém, que Santana Lopes no ramo da propaganda política não brinca em serviço...

Sem comentários: