Sou o senhor de meu destino; Sou o capitão de minha alma.” William Ernest Henley

terça-feira, 30 de novembro de 2021

Covid: a situação pandémica tem-se agravado no concelho nas últimas semanas


De harmonia com as edições de hoje dos jornais Diário de Coimbra e Diário as Beiras,
 «o Centro de Vacinação covid-19, que funcionou até 30 de Setembro nas instalações do Centro de Formação da Guarda Nacional Republicana, na Figueira da Foz, vai reabrir quinta-feira, 2 de Dezembro, para acelerar o processo de vacinação. A logística está a ser articulada entre a Câmara e o ACES (Agrupamento de Centros de Saúde) do Baixo Mondego, com a colaboração da GNR.


A vereadora da Saúde, Olga Brás, explicou que houve diálogo entre a Saúde Pública e a 
Task Force "no sentido de percebermos se poderia ser reaberto, porque queremos agilizar o processo da terceira dose da vacina e, assim que for possível, o de vacinação de crianças dos 5 aos 11 anos". Para o efeito, "entramos em conversações com o brigadeiro-general em Lisboa, que agilizou o processo e a disponibilização do espaço".
A reactivação justifica-se com a necessidade de ser aumentado o ritmo da administração da terceira dose e a dose de reforço para quem tomou a Jassen (dose única). Neste momento, está também em equação a possibilidade de passarem a ser vacinadas crianças a partir dos cinco anos. A dose de reforço da Jassen é administrada nos quatro primeiros domingos de dezembro. Se o centro de vacinação não reabrisse, pelo menos durante aqueles dias, aumentariam as filas nos postos de vacinação, distribuídos pelas unidades de saúde de Buarcos, São Julião, Alhadas e Paião. 
À semelhança do que está a acontecer naqueles locais, também no centro de vacinação será aplicado o sistema de casa aberta, ou seja, não é preciso fazer agendamento prévio. 
Em declarações, a vereadora Olga Brás sublinhou que, para a Câmara da Figueira da Foz – que presta apoio logístico, incluindo assistentes operacionais – a reabertura do centro de vacinação justifica-se para “dar resposta à pandemia, que, neste momento, está outra vez numa fase má”. Por isso, acrescentou, “faz todo o sentido reabri-lo”. Sobretudo, disse ainda, numa fase em que já circula [no mundo] uma nova variante e é necessário aumentar a capacidade de resposta da vacinação”. 
O centro de vacinação da GNR esteve sempre em equação, bem como o reforço do pessoal das referidas unidades de saúde e a abertura de novos postos. 
A situação pandémica no país e no concelho tem-se agravado nas últimas semanas. O boletim publicado pela autarquia no sábado dava conta de 49 novos casos e um total de 237 casos activos. Ontem, foram reportados 289 casos activos e 10 novos infetados. Desde o início da pandemia, há a lamentar a morte de 133 residentes, entre os 5327 infetados. Entretanto, recuperam da doença 4905 pessoas. 
Suspensão de visitas no hospital 
Por sua vez, o Hospital Distrital da Figueira da Foz tinha, ontem, 11 pessoas internadas na enfermaria dedicada aos pacientes com covid-19. Desde agosto que não havia tantos doentes naquele serviço e o aumento está a gerar constrangimentos no funcionamento do hospital. 
Entretanto, a procura nas Urgências dedicadas à infeção também aumentou, sobretudo nas pediátricas, que, até agora, eram menos procuradas. 
O hospital vai suspender as visitas a partir do de amanhã.»

Sem comentários: