.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 17 de abril de 2018

A Figueira é uma Aldeia de faz-de-conta programada...

Via AS BEIRAS.
"A saída de João Pedro Braga da Cruz da presidência do conselho de administração dos portos da Figueira da Foz e Aveiro, tendo sido substituído, interinamente, pelo vogal João Borges, relançou o debate sobre a participação de um figueirense naquela estrutura. 
O presidente da Câmara da Figueira da Foz, João Ataíde, tem insistido que as autarquias deveriam ter um representante na administração portuária. A actual administração dos dois portos deverá ter os dias contados, já que o mandato aproxima-se do fim. 
Entretanto, nos bastidores do PS da Figueira da Foz, partido que detém maioria na câmara e na Assembleia Municipal, ganha consistência o nome de José Iglésias, um histórico socialista com vasta experiência nos transportes marítimos, como possível representante figueirense na administração dos dois portos. 
No programa “Câmara oculta” da Foz Mondego Rádio, os comentadores Tiago Castelo Branco (PS) e Teotónio Cavaco (PSD), falando sobre o assunto, traçaram o perfil daquele que poderá ser o figueirense a integrar a gestão dos dois portos. Os “traços” que foram “desenhados” no espaço de comentários coincidiram com o percurso de José Iglésias, mas não referiram o nome. “Sou demasiado amigo de José Iglésias para estar a queimar o seu nome”, argumentou o comentador socialista, esquivando-se, assim, confirmar se se referia àquele camarada de partido. O socialdemocrata, por seu lado, manifestou que vai estar atento à forma como o PS vai gerir o dossiê. No entanto, para José Iglésias ser nomeado teria de haver um despacho do Governo para abrir a exceção à regra que impede a nomeação de reformados para cargos públicos remunerados, é que o gestor de empresas especializado em transportes marítimos reformou-se há um ano." J.A.

Sem comentários: