.

#FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA.#FIQUE EM CASA.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

O poder de observação agudo é vulgarmente chamado de cinismo por aqueles que não o têm. Cinismo, é uma maneira desagradável de dizer uma verdade... Niilismo, é um modo de pensar que não aceita nenhuma coação sobre o indivíduo...

João Vaz, consultor de ambiente, hoje no jornal AS BEIRAS, pretende dar um contributo sobre o "debate político" na Figueira.
 "São conhecidas as declarações de um político local do PS (já que João na sua crónica não diz o nome do político local, eu esclareço que foi o também "caralhete" João Paredes...) sobre a incompetência do executivo que tinha sido eleito pelo seu próprio partido. E aqui surge um paradoxo interessante: muitas vezes os maiores inimigos dos candidatos estão dentro do seu próprio partido. No entanto, os partidos políticos na Figueira da Foz parecem nem sequer existir de facto. A atividade é reduzida, o número de militantes ativos quase nulo e o debate político sério e consistente não existe. Aliás, quase nunca existiu e é conhecido o afastamento entre os presidentes eleitos e o partido, desde Aguiar de Carvalho que é assim. Conclusão, não há a expetativa de assistirmos a debate promovido pelos partidos. Nas redes sociais o debate político surge com algum interesse em determinados fóruns. Há propostas interessantes. Contudo, verifica-se uma tendência para a superficialidade e para o “romantismo” de querer reverter a Figueira da Foz para um passado distante. A eleição de Donald Trump mostra que o discurso político mudou. Insultar, ofender e achincalhar os adversários políticos é aceite por uma boa parte do eleitorado. “Mandar bocas” é a forma de alguns candidatos se promoverem. Assim, é natural que localmente surjam réplicas. Este discurso político cínico e niilista (“está tudo mal”) e “trumpista – “Lets make Figueira great again”, sem explicar como nem com que dinheiro, pessoalmente não me seduz."

Nota de rodapé.
Nada é tão útil para os políticos como a memória curta dos eleitores! 
João Vaz, em parte do mandato autárquico de 2005/2009, foi vereador PS, na oposição, ao executivo presidido pelo falecido eng.  Duarte Silva.
Neste momento, depois de ler a sua crónica, confesso que fiquei sem perceber se, actualmente, João Vaz se inclui nos 88% da população que não acredita nos políticos, ou nos outros 12%, que são os políticos. 
Sobre esse tema, acredito, desde há muito, que os políticos figueirenses, que conheço e conheci, se  dividem em dois grupos.
Um, constituído por gente totalmente incapaz. Outro, por gente capaz de tudo.

Tenho várias inquietações sobre a capacidade de se resolverem os problemas da Figueira.
Vejam lá no que chego a pensar!..
Que temos, como primeiro problema, no topo da piramide do poder alguém narcisista (que só pensa em si, com falta de capacidade de trabalhar em grupo, afastando tudo e todos válidos que tentam influenciar, pensando que o mundo gira à sua volta), a comandar isto, desde 2009!..
Que quem está à frente das instituições, não são “apenas” pessoas válidas: “têm” de ser do “regime”... 
Que há clientelismo e que são criados empregos à medida: ou, apenas, trabalho precário...
Que se anda a brincar à caridadezinha, distribuindo cabazes, a quem infelizmente necessita mas não se reabilita, transformando um pobre honrado, num irreversível pedinte... 
Que se patrocinam e promovem festas e festinhas, para dar circo ao  Povo e mante-lo feliz...
Que se continuam a  fazer obras de “fachada”, as chamadas obras de “regime”, que consomem recursos e cujos resultados são duvidosos...
Que temos os nossos Goebells, os bufos, que tudo e todos vigiam e transmitem superiormente... 
Contudo, ainda que poucos, há quem não preste vassalagem aos detentores do poder - deste, ou outros...

Entretanto, "de ano para ano, a praia da Figueira aumenta de volume. A areia já quase esconde o mar no horizonte!"
Será que toda esta areia a mais na praia está a encravar, cada vez mais, a máquina do regime figueirense?
Cito um extracto de uma notícia publicada, também hoje no mesmo jornal AS Beiras, assinada por J.A.
"João Ataíde foi indicado pela Concelhia do PS como candidato do partido à presidência da Câmara da Figueira da Foz, com 36 votos a favor e quatro contra
A votação realizou-se quinta-feira, à noite. “Fico satisfeito pela confiança que me foi depositada”, reagiu o recandidato independente em declarações ao Diário As Beiras. “Trata-se de uma missão de caráter político onde o conforto e o apoio do partido e dos militantes são fundamentais”, concluiu.
“João Ataíde é o candidato que nos dá melhores condições para dar continuidade ao trabalho que está a ser feito no município. Vai ser mais uma grande vitória para o partido”, declarou, por seu lado, João Portugal, presidente da Concelhia da Figueira da Foz do PS. 

Sem comentários: