.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

sábado, 25 de fevereiro de 2017

O jornalismo sério, as fontes e o humor crítico, sensato e acutilante

Para ver melhor, clicar na imagem
No Jornalismo, as fontes são portadores de informação. 
Podem ser pessoas,  ou documentos escritos ou audiovisuais, por meio dos quais os jornalistas tomam conhecimento de informações, opiniões ou dados.
Os jornalistas raramente estão em condições de assistir a um acontecimento que se quer manter secreto. 
Por isso necessitam de fontes.

Qualquer jornalista sério, sabe ques as fontes têm sempre algum interesse na informação que passam. 
Cabe ao jornalista a responsbilidade de saber escolher o que é o interesse público. 
Cabe ao jornalista aferir o rigor dos dados obtidos e a veracidade dos factos que lhe foram apresentados.

Hoje, para quem já viveu muito e acompanha desde há mais de 4 décadas a política figueirense, verifica que o  25 de Abril, na nossa cidade, começa a ter o estatuto de efeméride. 
A mensagem, salvo raríssimas excpções, deixou de estar viva nas novas gerações dos políticos que fizeram chegar a Figueira ao estado a que isto chegou,  o que pode constituir um perigo.
Aqueles valores que nos foram trazidos pelo 25 de Abril,  precisam ser protegidos, pois  continuam a ter validade.
É responsablidade de todos nós, os que continuam a acreditar no 25 de Abril, fazer perceber isso aos mais novos.

Sempre encarei a vida, como um grande espectáculo de humor. 
O problema é que, às vezes, alguns não entenderam a piada.
A vida, para quem cultivou ao longo da existência, uma escrita acutilante e  um humor crítico, nunca foi fácil. 
Mas não foi isso que me fez, até hoje, perder o bom humor.
Se isso tivesse acontecido estava tramado:  quem o achasse jamais mo devolveria.

Sem comentários: