"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

segunda-feira, 30 de março de 2015

Madeira: Jardim ou Albuquerque, é indiferente...

O PS-M coligado (com PTP, PAN e MPT) valeu menos do que alguma vez conseguiu sozinho, ficando-se pelos 11,4%, a que corresponderam 6 deputados na Assembleia Legislativa regional da Madeira. O número é igual ao de 2011, mas o número de votos caiu de quase 17 mil para pouco mais de 14 500. A culpa deve ser ainda do Seguro.
A maior revelação foi o movimento Juntos Pelo Povo, nascido de um grupo de cidadãos eleitores do município de Santa Cruz. O partido liderado por Élvio Sousa elegeu 5 deputados (10,34%) e passou a ser a quarta força política no parlamento regional. 
O CDS mantém-se como segunda força, apesar de ter descido em percentagem (teve 13,69%) e número de votos (menos 8 460). 
O PCP teve mais mil votos do que em 2011 (ficou com 5,54%) e conseguiu eleger mais um deputado (passa a ter dois). 
As legislativas regionais foram também positivas para o Bloco de Esquerda que conseguiu voltar ao parlamento regional (de onde saiu depois das eleições de 2011), elegendo dois deputados. 
A abstenção foi a mais elevada de sempre, tendo ultrapassado os 50% pela primeira vez desde 1976. 

Em tempo. 
Seguro, antes de ser apeado, ganhou duas eleições nacionais - as chamadas "vitórias de pirro".
Costa, estreou-se com uma derrota numa eleição regional
O resto, lá para outubro, irá ser com os portugueses, em geral.

2 comentários:

Anónimo disse...

Senhora da Aparecida....ilumina a minha vida (como dizia a canção).

A Arte de Furtar disse...

Infelizmente é indiferente.
Concluo que PPD está no ADN dos madeirenses?