quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

No mundo sindical também tem de ser sempre carnaval?

"Carlos Silva da UGT aconselha Arménio da CGTP a "evoluir" nas ideias"!..

Nota de rodapé.
E não que é que o sacana do Carlos Silva tem razão!..
Arménio Carlos deveria mesmo fazer como ele… 
Arranjar um patrão, assim tipo Ricardo Salgado, não fazer nada sem lhe pedir conselho, permissão e bênção, como quando foi convidado para dirigir a UGT em nome dos patrões e só avançar quando Salgado declarou que tinha o maior orgulho em ter um dos seus “colaboradores” à frente de uma central sindical…
Isso sim, Arménio Carlos, é que seria “evoluir”.
Só que, não nascemos todos ontem.
Por isso, nem todos precisamos de explicações sobre o que foi e é a CGTP.  
Não nascemos todos ontem.
Por isso,  sabemos o que foi e é a UGT...
Uma coisa fundada por Sá Carneiro e Mário Soares! 
Salvo erro, a última...

Da série, na Figueira é sempre carnaval...

"PROMESSAS!", uma crónica de CARLOS TENREIRO.
Foto Beiras
"Desde um centro de alto rendimento na praia, à iluminação do Cabedelo, passando pela remodelação da piscina praia, mais a reparação do estádio municipal, ao “ano zero” do turismo(!?) ou ainda a afectação de 9 milhões para obras, tudo isto e, muito mais, foi anunciado pela CMFF junto da comunicação social local, regional e nacional, a um ritmo estonteante e replicado durante o findo mês de Janeiro.
Com toda a ligeireza, divulgou-se agora em trinta dias aquilo que nunca foi projectado, feito ou sequer idealizado em noventa e seis meses, o equivalente a quatrocentas e dezasseis semanas, ou seja, dois mil novecentos e vinte dias de governação.
De facto, durante oito anos o areal manteve-se tal como se encontra hoje, desaproveitado; o Cabedelo sem iluminação e totalmente desprovido de infra-estruturas mínimas para a praia de surf que merecia ser; a piscina-praia como exemplo clamoroso duma gestão errática com custos incalculáveis para o erário público; o estádio municipal degradado, votado ao abandono; a cidade, uma estância turística de renome, viu o sector do turismo despromovido para uma divisão fantasma da Câmara Municipal; e, coincidência ou não, talvez por ser ano de eleições, o recurso repentino e miraculoso a 9 milhões para obras quando a população vem, desde há muito, convivendo com estradas, ruas e passeios em estado acentuado de deterioração.
Nas sobreditas promessas assenta uma pequena particularidade: tudo a concretizar a partir do ano 2018…
Há quatro anos atrás, também em véspera das eleições, entre outras promessas, foram colocados gigantescos out doors na marginal (pagos com o dinheiro todos nós) prometendo um projecto fabuloso para a praia que redundou numa enorme fraude, tomando como referencia o que por ali anda hoje em dia…
O que pode levar alguém prometer que vai fazer em quatro anos aquilo que não fez em oito? Ambição desmedida pelo poder ou falta de sentido de responsabilidade?
Diz-se que todos os políticos por altura das eleições caiem na tentação de anunciar promessas atrás de promessas para conquistarem o poder. Admitindo-o, convirá, contudo, relembrar que na Figueira da Foz apregoou-se a diferença, que tinha chegado uma nova forma de fazer politica, feita por alguém independente e distante dos partidos, imbuído em conceitos de rectidão e de compostura, um juiz… dizia-se…
Quando a nove meses das eleições a toada propagandística já comporta um tal registo de promessas, não se mostra difícil adivinhar o que nos reservarão os próximos tempos.
Não pode valer tudo!"

Petição defende desagregação da Freguesia de Buarcos e São Julião

Foto Figueira na Hora
Está a correr na Internet a petição «Por Buarcos e São Julião com Freguesias constituídas por órgãos autárquicos e territórios distintos e autónomos». Hoje de manhã, alguns dos proponentes desta petição realizaram uma acção de rua, junto ao Mercado Municipal Eng. Silva, de recolha de assinaturas.
A petição propõe “a defesa da desagregação da Freguesia de Buarcos e São Julião, a ser enviada a sua Ex.ª o Ministro-Adjunto Eduardo Cabrita, com conhecimento à Associação Nacional de Freguesias e à Assembleia Municipal da Figueira da Foz, no sentido de voltarem a ser individualizadas as Freguesias de Buarcos e de São Julião, de acordo com o anterior modelo de organização territorial das Freguesias”.
O texto (que pode ser lido e subscrito aqui) refere ainda que “a presente proposta tem por fundamento único e inquestionável o facto das anteriores Freguesias de Buarcos e de São Julião numa só freguesia, denominada Buarcos, ter sido levada a cabo à revelia das assembleias das duas freguesias supra-referidas e contra o sentir e a vontade de ambas as populações, mais tarde rectificado o nome da Freguesia de Buarcos em Assembleia de Freguesia para Buarcos e São Julião”.

Pedro Rodrigues Jorge, um dos proponentes da proposta, num texto de opinião que pode ser lido clicando aqui,  defende que “as populações destes diferentes territórios nunca foram auscultados e depende de nós, simples e humildes cidadãos, corrigir tal «crime» praticado sobre a população de São Julião e a população de Buarcos para que possamos devolver a sua identidade social, autonomia territorial e administrativas aos cidadãos de Buarcos e São Julião”.

Claro que aldrabar numa licenciatura em "desfiles carnavalescos" é um bocadinho excessivo... Mas, o princípio é o mesmo. Temos de ter currículos ricos... Porque a sociedade figueirense também gosta de ser enganada...

Imagem Pedro Agostinho Cruz/Beiras
Notícia Palhetas: Cantora Romana é a Rainha do Carnaval de Buarcos / Figueira da Foz=Rei é o figueirense Carlos Queirós "licenciado em desfiles carnavalescos"...

Nota de rodapé.
OUTRA MARGEM, sabe que só com os carnavais que não viveu, Carlos Queirós concluiu a licenciatura em Carnaval.
O canudo, que também é uma oferta de amigos, deverá chegar pelo correio, espera-se que não no domingo, pois não é a primeira vez que certos licenciados acabam por ter problemas com licenciaturas ao domingo.
O problema da Figueira nem é ter muitos problemas  -  é ter sempre os mesmos. 
Ainda o povo não está totalmente recuperado do escândalo com as licenciaturas de José Sócrates e Miguel Relvas e temos agora um figueirense "licenciado em desfiles carnavalescos" a ter de provar como se faz uma carreira carnavalesca com equivalências...

Mais do mesmo: continua o carnaval...

«Já sinto o espírito, a energia e a alegria do Carnaval»
Foi com estas palavras que sua alteza, a “rainha” Romana, se “apresentou”.
«Já chega de crise, precisamos de alegria e boa energia», diria ainda a cantora e animada participante em reality show, enaltecendo a «simpatia» do “rei”, Carlos Queirós, escolhido pelo público, num espectáculo realizado recentemente. 
A rainha «enquadra-se no perfil que pretendíamos», disse José Gouveia, presidente da Associação de Carnaval Buarcos/Figueira da Foz, a entidade organizadora. 
Tal como o previsto e anunciado, os reis do Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz foram ontem apresentados, no posto de turismo. 
Nos dois desfiles principais, nos dias 26 e 28, a cantora Romana e o figueirense Carlos Queirós vão fazer-se acompanhar por um séquito de 1200 pessoas, entre escolas de samba (três), carros alegóricos (nove), grupos (cinco), foliões e um trio elétrico, mais 500 do que no ano passado. 
Além de fazer desfilar mais gente, a Associação de Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz, que organiza o evento pelo segundo ano consecutivo, investiu nos carros alegóricos, alugando os atrelados a uma empresa especializada. Por outro lado, em parceria com a hotelaria local, criou o kit Carnaval para turistas, que lhes permite participar no grupo que abre o desfile. 
Mas, mais e melhor: está a preparar-se para receber excursões de vários pontos do país. A organização espera que venham à  Figueira, por causa deste evento, mais de 15 mil visitantes. 
E, espantem-se óh almas danadas, mal dizentes e daninhas, tudo isto com grande e inexcedível rigor orçamental! 
A quadra carnavalesca, começa no dia 11, com um espectáculo de samba enredo, no pavilhão do parque das Gaivotas. A chegada dos reis à estação de comboios está agendada para o dia 19. 
A festa faz-se com um orçamento de 100 mil euros, o mesmo do ano passado.
Este ano, a autarquia reforçou a verba, em seis mil euros, subindo a comparticipação para 57 mil euros
A câmara, de resto, sublinhou o vereador João Portugal, entregou a organização “a quem percebe de Carnaval”
Os reis, que vão desfilar com roupa desenhada pela estilista figueirense Lúcia Fonseca, garantiram uma participação animada: “tenho a certeza que vai ser um grande Carnaval”, disse Romana. “Vou ser um rei diferente”, prometeu Carlos Queirós. 
As entradas,ainda não está definido, poderão passar de três euros para os 3,5 ou quatro euros.
E pronto. E se o mau tempo, eventualmente e  por mero acaso, adiar o corso carnavalesco, não faz mal, é carnaval, ninguém leva a mal... 
Por cá, de resto, é carnaval todo o ano!

Nota de rodapé.
Face à invasão esperada no dia de Carnaval, é de crer, embora isso não tivesse sido anunciado, que a Figueira Parques não se irá esquecer de oferecer estacionamento gratuito nesse dia. E, já agora: quem já só conseguir estacionar apenas em segunda fila, deveria ser contemplado com um bónus...
Todos perceberíamos, facilmente, que isto não é campanha eleitoral, pois insere-se, com toda a naturalidade, na campanha do cabaz do carnaval figueirense...
No meio de tudo isto, resta-me apenas uma dúvida: porque é que os figueirenses se limitam a vestir de forma ridícula e a pregar partidas apenas 3 dias no ano, quando vivem numa cidade onde quem manda vai pregando partidas o ano inteiro?..
Figueirenses, não esqueçam: na Figueira, é sempre carnaval...

Na vida nunca se deveria cometer duas vezes o mesmo erro...

Segundo o Diário de Notícias, "Vítor Baía foi sondado pelo PSD para se candidatar à câmara de Matosinhos"... 
Já que estamos numa de devedores ao BPNna Figueira, onde o PSD parece estar em dificuldades para arranjar candidato, a escolha é óbvia...