Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

A homenagem de «O Sítio dos Desenhos» a Gonçalo Ribeiro Telles

Gonçalo Ribeiro Telles, teve uma vida de luta pela defesa do ambiente, que durou 70 anos. Morreu com noventa e oito. 
Fernando Campos, no O Sítio dos Desenhos, prestou-lhe aquela que, para mim, foi a melhor homenagem que vi prestar ao militante do ambiente, que teve a infelicidade de viver num "País onde o absurdo faz sentido".
Passo a citar.

"Em 2016 já lhe tinha desenhado este “retrato”, aqui, quando me referi a ele a propósito das tragédias ambientais de verão, de planeamento florestal e de desenvolvimento rural. Continuo a subscrever todas as considerações que me permiti então. Tal como referi, “a Portugal nunca faltaram homens bons e sábios, como Gonçalo Ribeiro Telles. O problema é que num país povoado por uma maioria esmagadora de idiotas eles são vistos, e tratados, como pobres lunáticos.” 
Por isso hoje foi decretado luto nacional e a bandeira está a meio-pau. Mas amanhã continua certamente o plantio anual do eucalipto. 
Estamos em plena estação. 
Há que aumentar o produto interno bruto. Até á desertificação total. Depois da brutalização consumada, decreta-se outra vez luto nacional. Não hão de faltar paus para bandeiras nem para passadiços, de onde turistas alarves possam apreciar devidamente a, digamos assim, paisagem."

Sem comentários: