Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

sexta-feira, 13 de novembro de 2020

A Comissão Municipal de Protecção Civil, depois de avaliar a evolução da situação epidemiológica no concelho, decidiu aplicar novas medidas


«A Comissão Municipal de Proteção Civil da Figueira da Foz reuniu, ontem, para fazer a “análise da evolução da pandemia e determinar um conjunto de ações para entrarem em vigor no imediato”.
Uma das medidas é a criação de zonas de concentração e apoio, com 67 camas no Colégio de Quiaios, 22 no Centro Social Cova-Gala e 15 nos bangalôs do Parque de Campismo de Quiaios. Encontra-se em fase de adaptação a Casa de Nossa Senhora do Rosário, “onde existirá um acréscimo significativo das capacidades de apoio, em caso de necessidade”
Os profissionais de saúde, à semelhança do que aconteceu na primeira vaga da pandemia, têm à sua disposição bangalôs do Parque de Campismo Municipal. 
“Para a colaboração na execução e/ou implementação dos planos de contingência, a autarquia destacou visitas técnicas conjuntas da Autoridade de Saúde, Segurança Social e Proteção Civil às estruturas residenciais para idosos e visitas técnicas da Autoridade de Saúde e da Proteção Civil aos agrupamentos de escolas".
A autarquia figueirense, diz ainda em nota enviada ao Diário as Beiras, que entre os meses de outubro e novembro, foram realizados 1125 testes serológicos aos ajudantes de acção direta dos lares, bombeiros e Cruz Vermelha. 
O município, informa também, que disponibiliza aos testes rápidos de antigénio, em colaboração com a saúde pública local. 
Está, também, a articular com o ACES do Baixo Mondego o reforço da equipa de saúde de apoio ao município.»

Sem comentários: