.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

terça-feira, 28 de abril de 2015

Será que o último 25 de Abril foi o último 25 de Abril cavaquista?...


4 comentários:

Rui Monteiro disse...

Porquê escolher sempre os mesmos que aos poucos têm vindo a destruir o nosso país, quando existem alternativas que nos permitam encarar o futuro com algum optimismo?!!

Anónimo disse...

Em 1988, Salgueiro Maia não obteve do então primeiro-ministro Aníbal Cavaco Silva, a pensão que requereu devido à sua participação no 25 de Abril.
Em 1992, o mesmo Aníbal Cavaco Silva concede pensões, "tendo em consideração os altos e assinalados serviços prestados à Pátria" e os "serviços excepcionais e relevantes prestados ao país", a dois inspectores da PIDE/DGS. Um deles, a acrescentar aos "altos serviços prestados à Pátria" prestados por aquela polícia política, tinha o seu envolvimento nos disparos sobre a multidão junto à sede da PIDE, na Rua António Maria Cardoso.
Ver indivíduos como Cavaco Silva nas comemorações do 25 de Abril só nos pode causar uma revolta profunda.
Mas a triste figura foi eleita pelo povo e é isso que assusta mais !!!

A Arte de Furtar disse...

O último discurso de Cavaco Silva num 25 de Abril teve apenas um dado positivo: foi o último.

Anónimo disse...

Alivio, não há mais anibal no 25 de abril!
Que vá escrever as memórias e não se esqueça das suas façanhas enquanto informador da PIDE.

M.Marques