.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Cenas completamente inúteis...

João Ataíde, presidente da câmara da Figueira da Foz há quase 6 anos, renovou, ontem, a vontade de requalificar a Serra da Boa Viagem e as lagoas.
Para levar a cabo tal desiderato, o presidente da Câmara da Figueira da Foz conta com a colaboração da Soporcel, Celbi, Cimpor e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).
Mas, sublinhe-se, o presidente da câmara da Figueira da Foz, segundo o que li no jornal AS BEIRAS, antes que se entusiasmem demais, deixou o realismo: por enquanto, “é uma mera ideia e, depois, a parceria e a circunstância é que vão determinar” o que vai ser feito.
Portanto, requalificar a serra, as lagoas e a estrada panorâmica que liga o Cabo Mondego a Quiaios, não passa de uma manifestação de vontade do dr. João Ataíde. Se estivéssemos em campanha eleitoral diríamos que não passaria de mais uma promessa.

Das primeiras eleições realizadas a seguir ao 25 de Abril de 1974, cerca de 4 décadas atrás, finalmente livres e democráticas, lembro-me da romaria que foi a ida dos covagalenses a Lavos (nessas eleições não houve mesas de voto na Cova e Gala), das longas filas de espera à porta escola primária onde funcionaram as urnas, do ar feliz das pessoas, apesar da espera para cumprir o acto cívico de votar a concretização de uma aspiração há muito desejada.
A maioria nunca havia votado nos simulacros eleitorais do antigo regime.
E, hoje, passados apenas cerca de 40 anos, temos um crescente abstencionismo, o desencanto e a descrença nos políticos ("são todos iguais!").
Para isso, contribuiu, em muito, a falta de credibilidade da classe política, sobretudo, pela desilusão com as expectativas criadas por sucessivas promessas não cumpridas ...
Não é tarefa fácil voltar a ganhar as pessoas para manifestarem, através do voto, em liberdade e igualdade a sua vontade colectiva.
Todavia, votar é essencial. O vazio criado pela omissão das escolhas, abre as portas aos messias e oportunistas de todos os tempos.
Daí, a responsabilidades dos políticos. Nomeadamente, dos políticos locais na gestão que fazem das expectativas que criam aos eleitores...
A Figueira não pode ser gerida como se estivéssemos permanentemente em período pré eleitoral.

2 comentários:

Anónimo disse...

Por falar em promessas onde estão o coreto e o campo sintético de buarcos.

A Arte de Furtar disse...

Banda sonora a acompanhar a intenção de requalificar a Serra da Boa Viagem:

https://youtu.be/_ifJapuqYiU
Dalida & Alain Delon - Paroles, paroles

Na Alemanha, na França, na Bélgica ou na "desorganizada" Itália, a Serra seria um local protegido, amado pela cidade, com cafés, percursos e com múltiplas actividades.
Aqui...é um local de intenções!

É a Marca Figueira, meu jovem vereador porreirinho...!