domingo, 18 de dezembro de 2016

Estamos a chegar ao Natal...

Que me perdoem os Sportinguistas (também sou...), mas não resisto! 
A tradição continua a ter o seu peso e a ser o que era...
A uma semana do Natal, o Sporting perde em casa com o Braga, cai para 4.º e fica a oito pontos do Benfica...
E o treinador já não é nenhum menino, mas continua a ser Jesus!

Idoso morreu sozinho em casa com hipotermia

Que raio de democracia é esta, em que mais de 50% do eleitorado perdeu a crença?..
"Morreu Manuel Escobar, 68 anos, deficiente motor, residente em Pombal, Alfândega da Fé, que há vários meses vinha pedindo a institucionalização num lar de idosos. Perdeu a vida, na sexta-feira, após ter dado entrada no hospital em situação de hipotermia."

Anda há um ano a tentar suicidar-se politicamente... E, um dia, vai acabar por morrer!


Nota de rodapé.
Como entendo Passos Coelho!..
Aos anos que o euromilhões me anda a sair sempre ao lado... 

Tavares não se pode se queixar deste amigo...

João Vaz, via AS Beiras:
"Na sua coluna de opinião, Isabel Maranha Cardoso critica a forma como a cultura e as artes surgiram na cidade. Afirma que “estatuária avulsa, pintura mural nem sempre apropriada, azulejaria se calhar desnecessária” entre outros aspectos são “enfeites” de gosto duvidoso. Discordo. Azulejaria é bem-vinda na Figueira, os vários locais preenchidos por azulejos ficaram esteticamente mais interessantes, desde os acessos ao Bairro Novo (escadarias) até ao muro do cemitério de Buarcos.

A “estatuária avulsa” (bustos de figuras políticas? a famosa “Preguiça”?) nas Abadias é um conjunto de esculturas de grande qualidade estética. E nos Jardins, as figuras colocadas trouxeram vida e cultura aos espaços. Neste capítulo a Câmara mostra arrojo, e bom gosto, dinamizando novas formas de expor e promover a “Arte Pública”.

A Câmara Municipal faz um bom trabalho na divulgação cultural e artística. Os murais, presentes nas escadas do Museu, paredes devolutas do Bairro Novo, frente do CAE,.etc. deram vida às estruturas e são obras esteticamente apelativas. Correspondem àquilo que se faz em toda a Europa, de Lisboa a Varsóvia. Bansky também é artista! (e vale milhões….)

Há muito conservadorismo na forma como as pessoas encaram a arte e a sua inserção no meio urbano. António Tavares, o vereador da Cultura, soube vencer a resistência à mudança dos padrões estéticos, aproximando-nos da Europa cosmopolita e moderna. Bem haja."

Nota de rodapé.
Com todo o respeito e consideração pela opinião do João Vaz, eu tenho amigos reais, não  como eu imagino que eles são na política activa...
Mas, também entendo perfeitamente o João Vaz: milhões de  pessoas têm um mesmo amigo imaginário... 
E, a isso, chamam religião!..

Bom domingo