sábado, 24 de março de 2007

X&Q27

3 comentários:

martinha lacerda disse...

Durante anos e anos, deram cabo do Algarve com betão...
Agora, vão tentar vender uma coisa que não presta – se fosse assim tão boa para que era tanto euro em promoção?...
Hoje é o debate Parque Verde versus betão...
Será que os figueirenses tão preocupados...
Vamos ver.... a martinha, mesmo de bengala, vai lá estar....

Anónimo disse...

Diário de Notícias de hoje:

“O Governo vai autorizar a construção de 30 mil camas turísticas nos 50 quilómetros da costa alentejana que ligam Tróia a Santo André. Apesar de se implantarem numa zona com valores naturais essenciais que o Estado português é obrigado a preservar, o Governo garante que os projectos são sustentáveis e vão avançar. Para a Quercus, estas estimativas são baixas. E o panorama agrava-se se a estas camas se somarem mais 45 mil em projecto para o litoral até ao Algarve.”

Depois é preciso massa para promover estas belezas naturais!...

DISTRIBUIDOR DE REBUÇADOS disse...

A QUESTÃO TEM MUITO MAIS QUE SE LHE DIGA, SE EM FINAIS DOS ANOS 50, A FIGUEIRA REINAVA COMO "RAINHA DAS PRAIAS" DE PORTUGAL, O ESTADO NOVO RESOLVEU APOSTAR, COMO FORMA DE FINANCIAMENTO DA GUERRA COLONIAL NA GALINHA DOS OVOS DE OURO NACIONAL. O TURISMO. PARA ISSO, ENQUANTO A FIGUEIRA SE HAVIA BATIDO DURANTE ANOS E ANOS PRA OBTER UMA MÍSERA PISTA DE AVIAÇÃO, MANDA CONSTRUIR UM AEROPORTO EM FARO, E DESSA FORMA SE PERCEBEU O FIM DO TURISMO FIGUEIRENSE. EMBORA MUITOS PENSEM QUE AINDA BEM: LIVRARAM-NOS DO BETÃO A SITUAÇÃO NÃO FOI BEM ASSIM, COMO POR VINGANÇA, LOGO A SEGUIR A 1974 VIU-SE QUE AS POLÍTICAS DO TURISMO FIGUEIRENSE - COMO VINGANÇA , POR TER SIDO PRETERIDA COMO IMPORTANTE ESTÃNCIA BALNEAR - DEDICA-SE A CPOPIAR O ALGARVE TRISTE OU TURÍTICO COMO LHE QUEIRAM CHAMAR, E COMEÇOU A CONSTRUIR A ESMO NA SUA BELA AVENIDA SALAZAR, AGORA 25 DE ABRIL, A DESTRUIR O PINHAL SOTTOMAYOR, A ERGUER O J. PIMENTA EM BUARCOS. E POR AI FORA. TENTANDO RECUPERAR OS VERANEANTES, ENTRETANTO FUGIDOS PARA AS BADALADAS PARAGENS ALGARVIAS , ENTÃO JÁ EM CRISE TURÍSTICA ACENTUADA E RECUPERADA COM OS PACÓVIOS DOS PORTUGUESES QUE NA SUA MAIORIA, DESCOBRIRAM NOS ANOS 80 O DITO ALGARVE. UMA COISA É CERTA APÓS A DEBANDANDA COM O INÍCIO DA GUERRA ESPANHOLA, COM A FORTE APOSTA DO ESTADO NOVO NO TURISMO ALGARVIO A FIGUEIRA NUNCA MAIS RECUPEROU ENQUANTO CIDADE COM ENORME POTENCIAL TURÍSTICO. SE DÚVIDAS EXISTEM É OBSERVAR A REALIDADE, A CAPACIADADE DE ATRACÇÃO MANTÉM-SE NÃO PELAS POLÍTICAS DESENVOLVIDAS, MAS APENAS E SÓ PELA BELEZA DO LUGAR. QUE APESAR DE TUDO CONVINHA MANTER AFASTADO DAS POLÍTICAS DE BETÃO ALGARVIAS E DO TURISMO PLASTIFICADO DO ALGARVE NOS ANOS 80-90 E APOSTAR NUM TURISMO EM QUE A COMPONENTE CULTURA- QUE NÃO APENAS GASTRONÓMICA- FIZESSE PARTE DO CARDÁPIO.