domingo, 13 de outubro de 2013

Alguma coisa deve estar errada no meio disto!..

Gostava de perceber como é que  o ministro Portas  consegue 100 milhões, cortando apenas 25 mil pensões de sobrevivência!...
Ora bem: 100 milhões a dividir por 25000 pensões = 4 000  euros!..
Será que existem 25 mil pensões de sobrevivência nas condições que o ministro Portas disse para levarem um corte de 4 mil euros!..

Da farsa à tragédia?.. Da tragédia à farsa?... Ou, simplesmente, raciocínios mal iluminados?..

A proposta preliminar de Orçamento do Estado de 2014, a que o SOL teve acesso em exclusivo, prevê uma cláusula de reversibilidade para o corte de 10% nos salários da função pública.
"A alteração do valor dos montantes (…) é reversível num contexto de crescimento económico do país e do equilíbrio orçamental das contas públicas, aferido pela verificação cumulativa das seguintes condições em dois anos consecutivos": PIB com crescimento nominal anual igual ou superior a 3% e saldo orçamental não inferior a – 0,5% do PIB.
A restituição da remuneração original, no entanto, não será feita de um dia para o outro: "ocorrerá em três anos, na proporção de um terço por cada ano", lê-se no articulado do OE que foi a discussão esta quinta-feira em Conselho de Ministros.
Esta medida – de difícil concretização – é destinada principalmente aos juízes do Tribunal Constitucional, para os tentar convencer que as medidas de austeridade são transitórias.

Resultados do fim de semana das equipas do Grupo Desportivo Cova-Gala

Juvenis: Cova-Gala / Tocha - ver aqui

Seniores: Cova-Gala / Vinha da Rainha - ver aqui.

“Parece um Governo de adolescentes e de gente imatura”!..

Já era assim, mas na véspera das autárquicas isso foi ainda mais  público e notário: fez contorcionismo, deu perigosos mortais à retaguarda seguidos de atrapalhadas piruetas, em defesa das políticas do Governo Passos/ Portas - que era tudo uma questão de comunicação e de saber explicar as medidas ao povo, comentava ele... 
Se não fosse o problema na comunicação, a seu ver, o povo ia aceitar que lhe fossem ao bolso, ao emprego, à conta bancária, à saúde e à educação - era tudo para o seu bem e para o bem das gerações futuras, etc. e coiso e tal... 
Pois, este mesmo senhor, vem agora dizer-nos que afinal o problema deste governo não era, afinal, o tal problema na comunicação... 
Ainda bem que este senhor me avisou para a realidade...
“Parece um Governo de adolescentes e de gente imatura”, isto é, em linguagem popular, não passam  de rapazolas irresponsáveis... 
Fiquei a saber tal graças à sagacidade e à argúcia da análise deste senhor. Obrigadinho, pá!

Bom domingo