.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Ao estado a que a Figueira chegou: "43 anos de democracia para levar com um autarca que manda indirectas em sessão solene"!..

Sábado passado foi feriado municipal na Figueira da Foz. 
A sessão solene do Dia da Cidade realizou-se durante a manhã, no Centro de Artes e Espetáculos. 
A cerimónia cumpriu a tradicional entrega de medalhas e distinções.
Além dos funcionários do município, foram distinguidos Manuel Luís Pata, a título póstumo (pelo seu contributo para a preservação da memória histórica da pesca e da indústria naval locais, através dos seus livros), o padre António Matos Fernandes, Augusto Alberto Pinto Rodrigues (antigo atleta e treinador da Naval, do Ginásio e do GRV) e Catarina Valadas Norinho (remadora da Naval convocada para a selecção nacional).
A autarquia distinguiu, ainda, as 62 empresas do concelho que em 2016 foram galardoadas com os diplomas PME Excelência (48) e PME Líder (14).
Do discurso, via AS BEIRAS, tomei conhecimento que o presidente da Câmara da Figueira da Foz, destacou a revisão do Plano Diretor Municipal e o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano como os dois principais marcos do seu segundo mandato.
Por outro lado, o autarca defendeu uma opinião pública informada, para poder exercer a cidadania de forma esclarecida. Contudo, e a propósito deste tema, João Ataíde sustentou: “E uma opinião pública informada é aquela que conhece os assuntos objecto de debate, mas que também compreende, ainda que minimamente, os constrangimentos de natureza legal que hoje se colocam à condução das políticas do Estado”.
Continuou, “consequentemente, uma opinião pública que, para merecer crédito, não pode ser um acumulado informe de mágoas e queixas deixadas pela infinita galáxia das redes sociais”. E concluiu: “O ritmo das políticas públicas, desde a sua concepção até à sua instituição em concreto, é mais lento do que esse frenesim de reclamações, tantas vezes cheio de contradições e superficialidade”.


Nota de rodapé.
"MOMENTO MENOSPREZE AS CRÍTICAS QUE PODE SER QUE FUNCIONE AO CONTRÁRIO".
"Faça um muro e meta-se lá dentro com os especialistas da sua vereação, ou vá dar uma volta pelas ruas esburacadas e desertas da cidade, pelo comércio tradicional que encerrou, pela marginal com esgoto entupido, pela ciclovia que inaugurou recentemente junto à praia do penico onde o cheiro a urina dá vómitos, durma na cidade com música a céu aberto madrugada fora durante 3 meses, rodopie pelos passeios e bermas cheios de ervas secas e altas, lave-se e cozinhe com a água mais cara do país, crie algo que distinga a Figueira de destinos de turismo de massas sem atirar com o sunset aos residentes que querem saber a origem do actual superavit que dá para devaneios festivos e justifique , por favor, para onde vai a receita dos impostos (IMI, taxas, taxinhas e afins) que pagamos na terra que escolhemos para viver!"

3 comentários:

Anónimo disse...

Já agora, complementando:
Abra todas as reuniões da edilidade ao publico.
abraço
Pimentel

Anónimo disse...

Mais um presidente que lida mal com as redes sociais.
Para certos autarcas estas só são boas quando lhes batem palmas.
O Presidente Ataide continua distraído e acólito do por aqueles quadros dirigentes que quis contratar e cujos resultados são os que se conhecem.
Infelizmente este Juiz que até deveria e poderia ser marcante, arriscar-se a ser mais um que passa e que não deixará saudades, nem aos seus camaradas de partido.
Esta cena com o Director que de Cantanhede, teve que vir embora, pois o seu patrão de então é bem, não queria que por lá houvesse dois presidentes de câmara, é de bradar aos céus.
Como pode Ataide dizer que vai abrir um inquérito? Quem vai ou vão ser os visados? Ataide e Monteiro também serão inquiridos? Estavam lá. Não sabiam de nada? Como?
E as festas da cidade? Uma ridícula imitação do passado Santanista.
Não inovam, estragam e esbanjamento dinheiro à grande e com resultados paupérrimo.
O problema de Ataide é que nem coragem tem para reconhecer que aqueles que o rodeiam são fracos gestores e maus parceiros técnicos, bem como não tem coragem para perceber que ressuscitou, tudo aquilo que estava enterrado e ultrapassado.
Felizmente para Ataide, infelizmente para os figueirenses, não existe oposição à altura, não fora assim, já era...

Anónimo disse...

este artista que vive em Coimbra tem muita lata!
fechou as reuniões de Câmara para não o verem a levar umas coças do Almeida, não explicou o PDM nas freguesias, mas quer ter os Figueirenses informados, informados sobre o quê?