.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

"Pedro Agostinho Cruz, o fotógrafo inconveniente" *

A verdadeira fotografia é aquela que nos ajuda a compreender e a interpretar a realidade.
A fotografia pode ser mais directa do que a escrita, pois pode transmitir “a pura verdade”, a tal verdade por vezes inquietante e incómoda, que um artista inquieto acabará por descobrir e transmitir e que pode ser compreendida por todos - mesmo pelos analfabetos.
Isto tornou-se ainda mais verdadeiro com a “democratização” do próprio acto de fotografar.
Há muitas formas de pensar a fotografia, mas é preciso fazê-lo criticamente. Se não o fizermos há o perigo de a reduzir ao seu lado estético.

As fotos que o fotojornalista Pedro Agostinho Cruz vai mostrar na exposição que vai ficar patente ao público no Mercado da Gala, a partir de amanhã, têm essa vertente, mas têm, ao mesmo tempo, algo que nos inquieta e que nos agride, pois mostra a violência de uma força da natureza brutal e poderosa – o mar em todo o seu esplendor e crueldade.
É claro que também há beleza nas paisagens fotografadas, mas é uma beleza estranha - é uma beleza que nos causa desconforto.  

* Título roubado à entrevista que a jornalista Andreia Gouveia fez ao Pedro Agostinho Cruz, hoje publicada no Diário de Coimbra.

2 comentários:

Anónimo disse...

Grande Pedro pena é que a sra jornalista tenha no meu entender escolhido um titulo infeliz..fotografo inconveniente.
Inconveniente? podia ter dito para quem.
As gentes da tua terra amam-te e teem a certeza que és muito conveniente defendo os interesses da Terra que te viu nascer um abraço parabens e continua.

Anónimo disse...

Já agora que convinha que a sra jornalista???' não se esquecesse que o Pedro não é um fotografo é um fotojornalista licenciado.