.

#FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA. LAVE AS MÃOS. EVITE CONTACTOS. #FIQUE EM CASA.#FIQUE EM CASA.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

"Cheque-obra" ou lavandaria? …

“Antigamente, os ricos que tinham sido pobres ofereciam bibliotecas, escolas, chafarizes e estradas municipais. Eles sabiam que a riqueza devia pagar um tributo para justificar a vaidade e o conforto. Hoje, os ricos amealham e só contribuem para o país embalados por benefícios fiscais e promessas de contratos do governo. São outros tempos.”
Agora, tudo pia mais fino e é muito mais refinado: estamos na era do “cheque-obra”.
A meu ver, esta "medida" serve, no essencial, para branquear a má imagem que as empresas de obras públicas têm junto da opinião pública e da forma como acedem a concursos públicos. Resta ver como isto se vai desenrolar no futuro – leia-se, depois das eleições.
Como escreve o Fernando Campos, nesta postagem, “bem-vindos pois à era radiosa do empreiteirismo - iluminado.”
Livra. Se eu fosse cínico, que não sou, pensaria que está a ser cada vez mais difícil firmar contratos com o Estado.
Contudo, segundo o ministro da Cultura, José Pinto Ribeiro, “17 empresas de construção civil já aderiram ao programa de recuperação patrimonial", a "grande maioria" constituída por "grandes empresas de construção civil”...
Somos uma Pátria de mecenas e filantropos, é o que é...

1 comentário:

o cu de judas disse...

esses patos bravos mecenas, não existe gato escondido com rabo de fora? esses quando dão um cêntimo já receberam mil