.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

14681

"De repente, a nossa democracia ficou dividida em duas. 
Para um lado, a democracia cujas regras vêm definidas na Lei fundamental. 
Para o outro, uma democracia cujas regras alegadamente estão numa coisa chamada tradição." 

Em tempo. 
Ficam a saber que esta é a postagem número 14681 do blogue Outra Margem
Os especialistas que se pronunciem se chega para começar também, aqui, a armar-se à tradição.
(Tradição, para que saibam, é uma palavra com origem no termo em latim traditio, que significa "entregar"...)
Espero que não, pois isso seria uma chatice para mim, pois não tenho vontade de fazer nadinha...
"A tradição não pode ser o que nunca foi. Experimentem ler a Constituição da República Portuguesa. A tradição que conta é a que lá vem, a soberania popular que, venham de lá essas tretas sobre o que não pode ser por causa dos mercados, não é só em Portugal que anda a quebrar tradições."
Eu gosto muito de bacalhau, sobretudo de bacalhau à brás, que embora sendo um prato típico da nossa gastronomia, não é uma maneira tradicional de se comer bacalhau...

1 comentário:

A Arte de Furtar disse...

Até parece que não houve dia 4 de Outubro...
Como já li algures (Daniel Oliveira? Pacheco Pereira?) haverá eleições até que o resultado seja o pretendido pelo sr Cavaco.
Na imprensa escrita, TV e rádio assistimos ao "processo de apagamento em curso"!