.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Pode-se passar de margarina para manteiga. Mas, nunca, de manteiga para margarina de novo…

"Não raras vezes, ouço a crítica, por parte de algumas pessoas a quem normalmente se concede o epíteto de forças vivas do concelho, de que a oposição na Câmara deveria ser mais vigorosa e que não devia facilitar tanto a vida ao presidente da Câmara. Normalmente, quando ainda me resta a esperança de que a crítica é genuína, pergunto quais os temas que deveríamos ter abordado e que deixámos de fora do debate político. É nesse momento que percebo, pelas respostas, que afinal não estou perante uma critica à oposição, mas sim perante o desejo de que esta funcione como “barriga de aluguer” para acertos de contas entre os meus interlocutores (e o que eles representam) e o presidente da Câmara. Para isso não estou, obviamente, disponível. A oposição deve ser a voz dos que não têm voz e deve ajudar a resolver os seus problemas, deve preocupar-se em defender os interesses do concelho e procurar defender as linhas que apresentou no seu compromisso eleitoral. Assim, não deve, nem pode, servir de caixa de ressonância ao interesse de outros, a quem a cobardia, a subserviência,ou a conveniência da circunstância impedem de falar. Tal como no poder, também na oposição é sempre possível fazer mais e melhor e trabalhar para defender o interesse colectivo, quer com a apresentação de propostas, quer chamando a atenção para os erros da governação. Quem estiver atento à comunicação social, às redes sociais e tiver a preocupação de saber as coisas fundamentadamente percebe bem o papel activo, responsável e fundamental que a oposição tem desempenhado. Para moço de recados, entrando em guerras que não são minhas e com as quais a Figueira nada ganha, não contem comigo."

Em tempo
Para bom entendedor, a crónica de hoje de Miguel Almeida, líder do Somos Figueira, é o "seu" balanço do "seu" mandato como vereador na oposição. A meu ver, não é apenas "O Recado" para "algumas pessoas a quem normalmente se concede o epíteto de forças vivas do concelho"mas "alguns recados", não só para o exterior, mas, também para dentro do PSD local. 
Será que vai haver clarificação nos próximos meses?..
Depois dos anos em que passou pelo poder na Figueira a credibilidade do partido de Miguel Almeida ficou em baixo - e ele sabe, melhor do ninguém, porquê. 
Para o PSD recuperar, não basta a continua descredibilização do PS figueirense.
Seria um erro confundir isso como um reforço da credibilidade do PSD na Figueira: uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa - são coisas muito diferentes.

1 comentário:

Rui Monteiro disse...

Mas estas questões não se resolvem nas reuniões da concelhia do partido?