.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

sábado, 25 de julho de 2015

Uma coisa que vai continuar na lista de “coisas para fazer” dos políticos...

Pires de Lima.
"É importante neste momento que os políticos sejam verdadeiros".

Em tempo.
O programa em curso, há décadas, visando o embrutecimento dos portugueses, foi transversal a diferentes governos e partidos e parece ser o único em curso que  está a ser  bem concretizado.
Curiosamente, porém, foi o único programa nunca anunciado em campanha eleitoral como capital de esperança para a o país e para os portugueses.
O actual governo, igualmente bem sucedido na área do embrutecimento dos portugueses, como temos visto com grande visibilidade nos últimos dias, continua a ter como prioridade tornar-nos irremediavelmente broncos.
Enquanto povo, continuamos  o que sempre fomos. Imbecis, ladrões e aldrabões que transformaram meros actos de pilhagem e saque de bens alheios, na sua maior e única glória, obrigados pela ancestral miséria irmã, a fazermo-nos ao mar para fugir à fome.
Chamámos a tal tragédia, uma epopeia de glórias e descobrimentos de novos mundos.
Daí para cá, nada mudámos e não mudaremos.
Continuamos iguais a nós próprios.
Os governantes sabem isso  melhor do que ninguém e foram-se aproveitando. Os modelos e programas escolares são bem elucidativos. É verdade que o acesso à escola é hoje universal mas não é menos verdade que as escolas produzem hoje licenciados que mal sabem escrever o próprio nome. O resultado está aí, materializado em tarefeiros licenciados, empregados precários de call centers, a trabalharem à tarefa, e pagos à comissão, auferindo rendimentos mensais entre os 400 e 500 €.
Acham que os políticos são parvos ao ponto de promoverem a cultura da verdade neste desgraçado país que é Portugal?
Isso, para eles, seria matar a galinha dos ovos de ouro!..

Sem comentários: