.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

A detenção de Sócrates: "claro que não é uma coisa trivial" ...

Como escrevi ontem, “quem, ao longo dos anos, tem passado por aqui, tem conhecimento de que o meu apreço pela figura de José Sócrates é nulo.
Todavia, até o julgamento ter terminado, presumidamente, é inocente.”
Quem por aqui tem passado nos últimos três anos, sabe também que não simpatizo com Passos Coelho e a tralha que o tem acompanhado. 
No geral, não tenho apreço pela classe política que, ao longo dos últimos quarenta anos, tem sido escolhida por alguns portugueses para mandar em todos: não, por considerar que são todos corruptos, mas, por considerar – e os resultados assim o confirmam – que alguns portugueses nos tem entregue a todos, a incompetentes, irresponsáveis e medíocres. 
Todos sabemos que, como em tudo, até no futebol, o poder judicial tem demasiadas ligações à política e está excessivamente cheio de boys que devem as suas posições ao PS ou PSD. 
Já todos nos habituámos à ideia de que quando um partido acede ao poder, povoa as estruturas com pessoal da sua confiança política. 
Sócrates foi detido com câmaras de televisão a filmar. Alguém deve ter passado a informação, ou então, haverá alguém com poderes sobrenaturais lá para os lados de Carnaxide.
Ontem e hoje, os jornais e as televisões publicam vastas e detalhadas matérias sobre o caso. Pelo que li e vi, ontem e já hoje, certos jornais e algumas televisões aparentam ter muita informação. Alguém acredita que essa informação tenha sido obtida por investigações próprias desses jornais e televisões? 
Sócrates, neste momento, ao que ouço nas ruas e cafés da Aldeia, está acabado, politicamente morto e quase enterrado. Mesmo que no final deste processo não venha a ser condenado – o que não me admirava nada - só não estará politicamente morto se conseguir provar que existiu mão de «ciência oculta» para o tramar. 
Se não conseguir provar a cabala, está feito - com ou sem condenação final.
Registe-se, para memória futura, António Costa a sua circunstância e o compreensível embaraço que lhe criou a situação: terá sido por isso, que deixou escapar argumentação despropositada, mas reveladora do seu anti-comunismo visceral e primário, ao argumentar que o PS não adopta "práticas estalinistas"?..
Fica o registo, apenas para memória futura...

Sem comentários: