.

“O que impede de saber não são nem o tempo nem a inteligência, mas somente a falta de curiosidade.”
- Agostinho da Silva

quinta-feira, 27 de março de 2014

Será que somos um país de bufos e chibos?

foto Pedro Agostinho Cruz
Cândida Almeida, ex-directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal e actual procuradora geral adjunta do Supremo Tribunal de Justiça ao falar sobre o papel económico e social da justiça nos últimos 40 anos, nas conferências Utopias XXI, do Casino Figueira e do Instituto Superior de Contabilidade e Administração (ISCAC) - Business School, na noite de terça-feira passada – e cito o jornal AS BEIRAS – afirmou o seguinte: “Não há inocentes na violação do segredo de justiça”.

Em tempo.
A fuga de informação,  constitui um dos  tais problemas de que toda a gente fala e ninguém resolve neste País.
Será que estamos condenados a ser  um país de bufos e chibos?
Ainda os arguidos não foram notificados da Acusação e já alguém se chibou à imprensa do teor desta...
«Lamento imenso e acho uma vergonha, o que se passa com as buscas em Portugal, as buscas são divulgadas, os jornalistas já lá estão todos prontos, ou alguns, as pessoas têm direito à intimidade da vida privada. Aí os arguidos passam a vítimas e as pessoas condenam-nos», era o que já dizia o antigo Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro.

1 comentário:

alex campos disse...

Consta-se que em 1974 haveria uns 400 mil. Portanto...