.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

"PSD UTILIZA CAVACO PARA DEFENDER MIGUEL RELVAS"

“Não recebi nenhum relatório.” “Nunca pedi nenhum estudo sobre a reorganização.” “Não o abordei.” 
Foram as expressões repetidas ontem pelo ministro Miguel Relvas, no parlamento, para explicar a relação que mantinha com o ex-director do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED).
Mas a constante negação trouxe afirmações agregadas: afinal Jorge Silva Carvalho enviava diariamente a Relvas relatórios de imprensa e também “um ou dois sms” com sugestões de nomes para as secretas.
Relvas recebia mensagens a que respondia “por deferência”.
Relvas desvalorizou o facto de receber estes relatórios “que tanta gente recebia”, disse. Na segunda-feira o i noticiou que Silva Carvalho, enquanto director do SIED, também enviava estas mensagens à Presidência da República... 

Mas, para o blogue   Aspirina B, "o melhor da ida de Relvas ao Parlamento para explicar a sua relação com Jorge Silva Carvalho,  esteve no registo de novas mentiras saídas da sua boca suja. 
Desta vez, Relvas mentiu quando lhe perguntaram se tinha comunicado ao Primeiro-Ministro a recepção dos SMS com nomes para reestruturar os serviços secretos. 
Ouçamos o guincho mentiroso e a resposta em falsete:
Não considerei importante… Não!… Não, não, não, não, não, não, não, não, não!"

1 comentário:

Martinha Lacerda disse...

Tenho de confessar que tinha algumas reserva em relação ao Miguel Relvas, o homem parecia-me o resultado do cruzamento genético entre o Marco Paulo e os Malhoa, foi buscar a beleza dos Paulos e o sex appeal dos Malhoa, tundo embrulhado com a marca pimba. Mas o que tem vindo a suceder no caso das secretas revela uma faceta de gajo porreiro que desconhecia. Sabia dos seus dotes culinários, o seu currículo como banqueiro de Cabo Verde, é tratado por compadre por uma boa parte dos autarcas e dirigentes locais, enfim, uma versão lusa e benigna do Dom Corleone.

Mas fiquei a saber que o Relvas é um gajo porreiro pois só a um gajo porreiro é que um ex-agente secreto e alto quasro de uma Ongoing se lembrava de mandar os clippings de imprensa. Para quem não sabe os cluppings de imprensa são os chamados recortes de imprensa, mas neste caso são o resultado do trabalho de agentes secretos muito dedicados e pagos pelos contribuintes, pelo que é coisa mais fina e por isso deve ser escrito em inglês. Se o Relvas fosse presidente de uma junta e recebesse uma fotocópia das principais notícias do Oje, do Destak e do Metro a designação seria recortes de imprensa.

Pois só um gajo porreiro é que dá o número do telemóvel a outro gajo que mal conhece e só viu algumas vezes. Aliás, as comunicações entre o agente secreto e o gajo porreiro do Relvas a que o agora ministro nem respondeu para não confiança ao outro gajo que não se sabe bem como tinha o telefone dele, são típicas de conversações entre gajos porreiros. Normalmente um gajo porreiro comunica com outro gajo porreiro para lhe dizer se um terceiro gajo é ou não porreiro.

Outra gaja porreira, ainda que não se saiba muito bem se é do governo, da Ongoig ou da Secreta, é a Manela, não, não é essa que em estão a pensar, é a outra mais nova que há tempos apareceu gravemente doente na Praia Verde e que tem umas beiçolas que faz lembrar uma garoupa, essa meso! Pois a Manela também é uma gaja porreira e ainda que não tivesse grande intimidade com o Pedro não teve problemas em comunicar com este pois sabendo que também era um gajo porreiro não lhe ia levar a mal.

Tal como as comunicações de outros gajos porreiros com o gajo porreiro do Relvas, também no caso da Manela e do Pedro se processaram através de sms pois os gajos porreiros não dão à língua, até por causa das doenças sexualmente transmissíveis, preferem dar ao dedo. No caso da Manela o sms para o porreiro do Pedro também foi para falar noutro gajo, mas ao contrário do agente secreto que informou o Relvas sobre dois gajos porreiros, no caso da Manela o dedilhar foi para avisar o Pedro de que o Bernardo Bairrão não era um gajo porreiro.

Isto é tudo uns gajos porreiros.

Sacado daqui http://jumento.blogspot.pt/2012/05/tudo-gajos-porreiros.html