Sou o senhor de meu destino; Sou o capitão de minha alma.” William Ernest Henley

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Felizmente que Portugal é um país de gestores, directores, assessores…

Segundo o jornal Público, “apesar de o salário mínimo ser recebido por cada vez mais pessoas, o Ministério estima que as empresas não sofrerão um acréscimo de custos elevado. Se os aumentos salariais forem de 1,5 por cento, a subida do salário mínimo corresponderá a um acréscimo médio de 0,35 por cento das remunerações base e de 0,12 por cento dos outros ganhos salariais.”
“Felizmente que o grosso da massa salarial está na remuneração dos gestores, directores, assessores e respectivas regalias acessórias… se não fosse isso, ainda perdíamos competitividade!”

Via 2711

1 comentário:

manuel gouveia disse...

Sem dúvida meu caro, estamos em boas mãos!