"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A Figueira vai continuar a manter o elefante

Cito o Diário de Coimbra de hoje: segundo o Presidente da Câmara, ainda que em “período experimental, para saber se desafectando o CAE, a FGT pode cumprir os seus objectivos”, a administração da empresa municipal passa de 3 para cinco elementos…
Mas, ao que se presume, nem tudo é mais despesa. Vai-se poupar nos trocos. Na última reunião de câmara foi presente o estatuto remuneratório dos membros do Conselho de Administração da FGT.
Segundo o presidente, e citando de novo o Diário de Coimbra: "face às circunstâncias, consideramos oportuno baixar as senhas de presença”, que passam a ter como referência a média nacional, ou seja, 150 euros para o presidente do Conselho de Administração e 74 para os vogais. Em relação ao administrador executivo tiveram em consideração, “os vencimentos existentes, acrescentando uma percentagem razoável”, mas diminuindo a verba, uma vez que o CAE passa a ser gerido pela câmara, frisou João Ataíde, adiantando que Pedro Malta vai auferir 2.420 euros, mais despesas de representações (cerca de 300 euros mensais).
O vereador da cultura, um dos alvos preferido pela oposição nesta reunião, pois foi acusado de andar quatro anos a defender a extinção da FGT e agora, na condição de governante, ter um comportamento diverso, ripostou, afirmando que “nunca defendeu a extinção da empresa”.
Defendeu, sim, “a sua extinção tal como estava a ser gerida porque caminhava para a auto-liquidação”.
O autarca frisou ainda que foram equacionadas todas as hipóteses sobre a extinção da empresa e ainda “não há resposta definitiva”.
Sinceramente, há coisas que não percebo: se a FGT é um sorvedouro de milhões dos depauperados cofres municipais (e vai continuar a ser, presumo que ninguém tem dúvidas sobre isso...), parafraseando o vereador António Tavares, o problema estava resolvido por natureza.
Bastava continuar a geri-la como no tempo de Duarte & Cª. e a FGT extinguia-se naturalmente. Se estava a caminho, era só prosseguir…
Mas, pelos vistos, vamos continuar a manter o elefante no zoológico da Figueira, por muitos e bons anos….

Sem comentários: