"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Os prémios literários e os políticos que passam pela Figueira

Recordo: Santana Lopes, na sua fugaz passagem pela Figueira, como Presidente de Câmara, decidiu acabar com o “Prémio do Conto Joaquim Namorado”.

Através do blogue Lugar para Todos, acabei de ler que “o PSD, na sessão de Câmara, votou contra a instituição do prémio literário João Gaspar Simões, figueirense que se distinguiu como escritor e muito categorizado crítico, com enorme colaboração nos melhores jornais e revistas.”
Na opinião do Doutor Melo Biscaia, “de certo, esse voto resultou, infelizmente, da ignorância do valor daquele nosso distinto conterrâneo.”
Como sublinha o distinto democrata figueirense no seu blogue, “com esse Prémio, pretendia-se substituir o Prémio Cidade da Figueira da Foz, que pela sua natureza tão geral, pouco dizia aos figueirenses, e esse Prémio incompreensivelmente sucedeu ao Prémio Joaquim Namorado, dedicado democrata e grande amigo da nossa cidade, embora não tivesse nascido nela, mas dispensando-lhe um enorme amor e sendo um poeta de muito mérito, que sempre fez da Figueira a sua segunda terra.”
O PSD Figueira, ao não votar favoravelmente a criação de um prémio literário com o nome João Gaspar Simões, o que “é algo de injustificável, até porque Gaspar Simões foi como que o descobridor desse grande homem das letras portuguesas, que é Fernando Pessoa”, limitou-se a estar ao seu nível.
Retornando ao Doutor Melo Biscaia: “Gaspar Simões foi também, como Joaquim Namorado um anti-fascista que alcançou na cena literária portuguesa uma posição de relevo.
Mas a verdade é que ele nunca foi bem tratado pelos vários poderes que passaram pela nossa Câmara, o que o desgostou naturalmente, como sabem os que o conheceram bem.”

Por sua vez, O Movimento Figueira 100% decidiu-se pela abstenção, pelo que a proposta do PS foi aprovada.
“É pena” – como muito bem escreve o velho democrata figueirense no seu blogue Lugar para Todos - “que nem todos, pelo menos os mais responsáveis, conheçam melhor a história da Figueira quanto a vários sectores, mormente o cultural.”
Exemplo disso mesmo, foi Santana Lopes na sua passagem pela Figueira, como Presidente de Câmara: chegou e acabou com o “Prémio do Conto Joaquim Namorado”.
Para um antigo Secretário de Estado da Cultura, nada mau…

Sem comentários: