Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Não tenho queda para herói...

Antes, já gostava de espreitar blogues, em especial os da Figueira.
Em Abril de 2006, o Pedro, então um puto com 17 anos, em jeito de brincadeira, colocou-me o desafio da blogosfera.
De início, a coisa pareceu-me estranha, experimental, um espaço fechado, mas, ao mesmo tempo, uma porta que não sabia bem até onde poderia conduzir.
Passo a passo, fomos caminhando e construímos este OUTRA MARGEM.
Para quem, como eu, tinha já uma larga e longa experiência em órgãos de informação, nacionais e regionais, navegar nestas águas livres, foi algo de diferente, pois navegar contra ventos, marés e correntes, sem motor auxiliar, não é tarefa fácil e, muito menos, simples.

Escrever num blogue, com a divulgação que este alcançou junto da população local, numa Terra pequena, abordando temas locais, passou a ser um risco enorme, até físico, pois há gente muito sensível à discussão pública dos temas que deveriam interessar a todos, mas, ao que parece interessa, o mais possível, preservar da opinião dos verdadeiramente interessados.
Como, possivelmente, encontraram dificuldades em conotar o blogue politicamente, tentaram descobrir aqui a teia de uma conspiração protagonizada por dois perigosos agitadores.
Com os diabos, o 25 de Abril de 1974 já foi há 34 anos!...

Eu, francamente o confesso, não tenho queda para herói e lido mal com pressões e ameaças.
Por isso, tenho ignorado e desvalorizado os episódios que já nos aconteceram.
Francamente: desconhecia, em absoluto, esta capacidade de, mesmo sem o querer, fazer ferver a água, onde se banham, há muito, algumas pessoas de quem me fui afastando nestes últimos anos...
Mas, por favor, repito mais uma vez, não se enervem, não ameacem, tenham calma.
Confesso: não tenho mesmo queda para herói.

1 comentário:

Anónimo disse...

Afinal quem é que te anda a ameaçar? Quem são, quantos são? Onde estão?
É pá, tu diz que a gente vai-se a eles.