sexta-feira, 25 de maio de 2007

Divagações...

Não é impossível um presidente de um clube de futebol tornar-se político.
Já aconteceu.
Mas, difícil, difícil mesmo, é um bom presidente de um clube de futebol, transformar-se num bom político.

O problema tem a ver com a natureza das duas funções.
O político é, quase sempre, um ser desprovido de imaginação.
Para compensar esta falha, tem tendência para a mentira, a falsidade e a pompa.
O político, confunde mentira com imaginação, sonha com a eternidade.
Quase todos, porém, conseguem alguma notoriedade...

O presidente de um clube de futebol, principalmente de um clube pequeno, é alguém que tem de usar a criatividade e a imaginação para conseguir sobreviver no dia a dia.
Por vezes também tem de mentir.

5 comentários:

Tó (da Lota) disse...

Não é bem assim.
Quando um político diz não, quer dizer o contrário, ou está mesmo a dizê-lo. Quando diz o contrário, também é o contrário que acontece.Portanto, mente sempre.
Um dirigente ou presidente de um clube desportivo, ao dizer que não, é esperar pela pancada e sai tudo ao contrário. Resquícios de "o segredo é a alma do negócio" em que fingem não estar interessados em determinada coisa ou jogador e a seguir, já cá canta.
Portanto, um dirigente desportivo não mente só de vez em quando, mente sempre. Mente nas contas, nos pagamentos, nos recebimentos, nas receitas que são uma coisa diferente dos recebimentos e mente sempre muito no início da época ao dizer que "este ano é que vai ser".
Mas não estão sózinhos. Tudo mente à sua volta. Tudo quer pôr-se em bicos de pés aparentando desinteresse e um alheamento do protagonismo que anseiam e a que são obrigados pelas mulheres. É que um tipo com uma pila pequenina, sentado num carrito à maneira ou a falar para o microfone ou repórter de jornal, ganha um ego que só visto.
Eu, embora não olhando muito quer para uns, quer para outros, já os vi há muito tempo.
Como diz o outro, já lhes vi o cu há muito tempo.
É tudo igual, com poucas excepções, claro.

Eleições Cova-Gala disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

Diga- se de passagem mais uma lengalenga venenosa do senhor Agostinho.

Agostinho disse...

Será dos genes?

+1 disse...

Anónimo
25 Maio, 2007 14:18
Como diria o Jorge Palma
"Deixa-me rir
Essa história não é tua
Falas da festa, do Sol e do prazer
Mas nunca aceitaste o convite
Tens medo de te dar
E não é teu o que queres vender"