terça-feira, 29 de maio de 2007

Sinais exteriores de pobreza...




Lá por Lisboa, o pessoal já estava preparado para as férias...
Todavia, antes de isso ser uma realidade, lá vai ter de ir a umas eleiçõezinhas intercalares para a Câmara!...A pré-campanha, por lá, já anda animada, pondo a nu os sinais exteriores de pobreza dos lisboetas!...

Cá por São Pedro, o pessoal ainda está a preparar as férias dos outros...
Sem uma eleiçõezinhas intercalares no horizonte, teve direito a um cheirinho de campanha eleitoral no passado sábado.
O Campo do Cabedelo assistiu a uma autêntica jornada de propaganda eleitoral, já para 2009!...
Apesar do espectáculo algo confrangedor, pelo menos, o Clube sempre lucrou: veio um envelope e o respectivo chequito, como se pode ver na foto...
Contudo, olhando com alguma atenção para a foto, fica-se com a sensação que ela deixa transparecer um silêncio incómodo, perturbante e atípico!... Porventura, difícil de racionalizar...

Em qualquer acto protagonizado pelo ser humano, porém, por mais exponencial que seja a genialidade do artista, sobra sempre uma vulnerabilidade. Basta olhá-la de perto, neste caso, basta ampliar a foto, clicando em cima.
Numa festa tão bonita, foi pena, foi mesmo muita pena, que alguém com grandes responsabilidades nesta Terra, viesse pôr a nu os nossos sinais exteriores de pobreza!...

10 comentários:

Anónimo disse...

eu ouvi a conversa.

fabio---ó simão e quanto ao sintético
simão--mas é ké já a seguir
sr. de bigode -vocês mereciam era uma palmada cada um.

VC disse...

Os sinais exteriores de pobreza vão alastrar, ainda nesta época, mais precisamente no próximo mês.
À medida que a coisa vai desabrochando, novos episódios vão seguir-se dentro de momentos.
Vêm ai os meninos do Benfica!.... Estejam atentos ao próximo episódio, o espectáculo segue dentro de momentos.....

Anónimo disse...

Em terra de cego quem tem um olho é rei... Que tal termos cuidado para que não nos ceguem o outro olho?

rasteirinho disse...

Criam-se mitos. Destroem-se mitos. De um momento para o outro e de acordo com os interesses circunstanciais dos autores da criação e da destruição.
Usam-se pessoas. Atribui-se-lhes uma importância fictícia.
Não se cuida de saber o alcance de uma ou outra atitude. O que importa é satisfazer o apetite do momento. Tapa-se o sol com a peneira e pensa-se que todos são cegos. Todos passam a ver a coisa com os olhos dele, do rei, de quem manda. Porque em terra de cegos, quem tem olho é rei…
E foi assim que o povo descontente se virou para si, o salvador da Terra.
Mas amanhã será um novo dia e haverá tempo para a criação de novo mito, mais um ídolo, como você, de pés de barro!
Você gosta de mandar... está-lhe nos genes, nem que seja mandar na terra deserta, nas pedras e nos paus.
E talvez seja a altura de lhe dizer que, eles, nos que você manda, não passam de uns paus mandados, uns; outros, porque desistiram da vida transformaram-se nos outros paus mandados.
Mas o dia há-de chegar em que não haverá paus mandados, nem cegos, em quem o herói, o rei tornado pau possa mandar…
Há heróis falsos e verdadeiros! Uns devido à sua maneabilidade política e com alguns dotes de oradores conseguem atingir os fins ambiciosos de se colocarem no cume do poder.
Envaideceram-se e souberam criar círculos à sua volta que os apoiaram e adoraram.
Mas quando a obra dos herói terminar em nada, o pedestal onde foi colocado esboroa-se , como barro amassado espalhando-se pelo solo onde aquele que o idolatrou , como herói, no caminhar pisará essa mistura, já inerte, que tardará a ficar ressequida de tanto ser calcada.
Os mitos de ocasião, raramente, perduram.
Os verdadeiros mitos levam séculos a criar.

Tó (da Lota) disse...

Não sei quanto foi. Pode ter sido muito, pode ter sido pouco. De boa vontade ou forçado pelas circunstâncias. Aquilo a que se chama pressão.
Há uma mão que dá e outra que recebe. A que recebe, se calhar noutras circunstâncias não aceitaria, mas na vida, algum dia, todos temos o nosso sapo para engolir. Quantas vezes a seco.
Mas quem dá, podia e devia ter dado doutra forma.
Fazendo desse acto um acto mais digno, que não fosse um acto envergonhado. O relacionamento institucional, com respeito, está acima dos relacionamentos pessoais e daí, o sapito para engolir.
Quem dá, neste caso devia ter dado mais dignidade ao acto.
Pelo menos, usava um envelope mais digno, não dobrado, e teria escrito por fora remetente e destinatário. Já que lá dentro teria havido o mínimo de decência ao fazer acompanhar o óbulo de uma carta da entidade doadora.
O portador não conta. É um simples mensageiro.

Anónimo disse...

Tambem me parece que o que foi dado podia ter sido dado doutra maneira mais subtil mais discreta mas na politica infelismente vale tudo.
Mas ainda voltando ao futebol será que toda a gente passa ao lado incluindo os autores do blog o facto da naval ir no dia 9-5-07 organizar um grande torneio de infantis e não convidar os campeões.

Agostinho disse...

Hoje, já é o segundo anónimo (ou será o mesmo) que aborda este assunto.
Como não tenho, por enquanto, dados credíveis e concretos sobre o problema, vou aguardar que a Direcção do Grupo Desportivo Cova-Gala diga publicamente algo sobre o assunto.
Este Blog não é a Direcção do GRUPO DESPORTIVO COVA GALA.
Só as Direcções da Naval e do Grupo Desportivo Cova-Gala saberão, com precisão, o que realmente se passa.
Tanto os responsáveis do Cova-Gala como da Naval, poderão, se assim o entenderem, através deste Blog, dar conta do que realmente se passa.
Ficamos a aguardar a posição oficial de quem de direito.

tó (da lota) disse...

Fura Redes disse no seu blog Meia Bola... e Força
“A isto chamo eu matar dois coelhos de uma só cacetada. Obrigado ao Anónimo que fez o favor de nos dar tão preciosa informação. Ficámos a saber que a Naval organiza um torneiode SUb 12,no dia 9 de Junho e quais seráo os participantes.
Fica também esclarecida a pergunta feita pelo 1º Anónimo ou seja a Cova Gala não foi convidada...”

O que tem a Direcção do Grupo Desportivo Cova-Gala a dizer sobre isto?...

Tó (da Lota) disse...

Voltamos a ter o ataque de um dos meus meios irmãos (só por parte do meu pai).
Ainda não atingiu a maioridade e portanto não sabe quem é.
Tem andado a chamar pai a outro.
E a mãezinha dele, ri-se.
O filhinho, é mesmo filho dela.

Anónimo disse...

O Covagala incomoda muita gente, um COVAGALA CAMPEÃO incomoda muito mais.