Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quarta-feira, 30 de maio de 2007

“ISTO AINDA VAI TOMAR UM RUMO E EU TAMBÉM...”

Recebi este recado:

“mão deixou um novo comentário na sua mensagem "Sinais exteriores de pobreza...":

Pobreza é a sua cabeça em termos de mentalidade.
Olhe que difamação é crime(art.° 180.° do Código Penal) e olhe que depois ainda é agravada por estar a publicar num meio de fácil divulgaçãoa [art.° 183.°, l, a) e b), do Código Penal)]
Não tenha cuidado que não é preciso, olhe que as pessoas podem se fartar da brincadeira,não acha?
Veja isto:
http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?div_id=291&id=739850
P.S: homem apanhe juízo que já tem idade para isso.
Olhe que não é assim que vai atingir os seus objectivos de ser presidente de junta.

o meu B.I é o numero: 13224576”

Desde que fundei este espaço, tenho recebido tantos recados que, confesso, estou a ficar, não preocupado, mas pensativo!..
É que, como calculam, aprecio imenso que me digam o que devo e não devo fazer...
Nos últimos tempos, agradecido, embora não sem surpresa, tomo consciência de que há cada vez mais gente interessada em fornecer-me orientações de vida.
Por aqui se vê o desgoverno político, desportivo, funcional, moral e ético em que tem andado a minha existência!...

Vou confessar: se tenho andado por esses caminhos tortuosos, não é por mal, é por ignorância.
Esta constatação, leva-me a outra confissão (igualmente de ignorância): não fazia ideia de que um blogueiro, se assim o entendesse, não podia ser diferente, ter aspirações com alguma dignidade, ser candidato a qualquer coisa!... Enfim, tentar viver a vida...
È que, desgraçadamente, não li o Código Deontológico do Blogueiro (falta da qual aproveito para me penitenciar) e por isso acreditava que, quer para os blogueiros, quer para os outros todos portugueses, valiam as mesmas regras da… Como é que isto se chama na nossa Terra?... Democracia?.. É isso?...

Mas, será que trinta e três anos depois do 25 de Abril, ainda haverá quem decrete quem deva e quem não deva ter aspirações políticas nesta Terra?
Eu pertenço ao grupo dos que não devem ter!...
A não ser, desconfio, que passe a apoiar a “UNIÃO NACIONAL LOCAL”....
Obrigado. Obrigado. Obrigado. Muito obrigado. Muito obrigado mesmo, pelos recados!...
Por todos os recados...

7 comentários:

Anónimo disse...

Ninguém lhe para o senhor não ter aspirações.
Mas será preciso andar sempre a bater na mesma tecla, sempre a bater no Simão.
Eu só digo aquilo porque sou seu amigo(eu até votei em si nas eleições).
Eu só digo para o senhor ter Cuidado porque as pessoas podem-se fartar.

Um abraço Agostinho.

António Agostinho disse...

Já agora podia ter assinado, para eu poder retribuir o abraço.
Sendo assim, um Abraço Mão

Anónimo disse...

“A festa terminara. O êxito esperado tinha sido conseguido.
Feitas as despedidas, após o almoço volante no Parque, fomos "devolvidos" à procedência.
O caminho, após alguns acidentes de percurso, voltara a abrir-se em força para o futuro. Mais um passo conquistado pelo cérebro!...
Porém, aqueles e aquelas que o tinham embevecido de alegria, fizeram-no, não por amizade, mas por um sentido inverso, o interesse. E, o artista, contente e ufano aceitou, sem reflectir, amizades que não passavam de hipocrisia.
Está prevista, para breve, outra jornada populista.
No dia seguinte, passada a folia e o gozo, subiu, em maior escala, a vivacidade, dando guarida às palavras de encantamento, dos falsos amigos e amigas. Acreditara no pior, porque esquecera o amanhã.
Os dias sequentes marcaram o início da derrocada. Os bons amigos, suspeitando das traições do amigo, começaram a afastar-se. Porém, ele, cego de juventude não olhou mais longe. E, o êxito da festa começou, a tomar-se um pesadelo. Mas, ganhara aquilo que desejara. Nem pensava no pior, nem no porvir. O presente é que interessava. O espaço e o produto motivadores da festa, entretanto, atingiram o fim. Os resultados que se adivinhavam positivos, acabaram na desilusão.
E, a roda do triunfo começou a emperrar e a andar ao contrário. A cegueira do novo não deixava entender as trevas que se estavam a formar. E, de amiga em amigo, aqueles que o endeusaram, deram, mais fortemente o sinal de fuga. Os conselhos dos amigos, os verdadeiros, não acataram reflexão. E, de dia para dia, o herói da festa começou a ficar sozinho, restando-lhe o "prémio" envenenado que lhe saíra naquela noite e se enraizara nos meses seguintes. A queda atingiu vertiginosa velocidade e o pior e natural sucedeu. Ficou sem bons e falsos amigos. O sonho com raízes já amadurecidas, definhou, enfraqueceu e quase morreu. Hoje, ainda agarrado ao sonho sem realidade, vive na esperança do milagre, embora nada faça para o alcançar. A coragem falta e a novidade passeia-se na passarelle da sua ilusão, embora saiba que não leva a lado nenhum.”

Cuidado Agostinho, os seus inimigos, aqueles que se faziam seus amigos para se tentar aproveitar de si e do blog estão aparecer por aqui....

Anónimo disse...

Caro Blogueiro,
Já ali atrás e há poucos momentos comentei o ataque do meu meio-irmão. O filho da puta.
Agora vejo novamente uma bosta dele a fazer de comentário a este post.
Ainda por cima em copy-paste.
Quanto a isso, faça como entender.

Anónimo disse...

Caro blogueiro

Imagine que o Socrates era da Cova-Gala; imagine que o ministro Mário Lino era da Cova-Gala; imagiine que o Mário Soares era da Cova-Gala.
Você tava tramado meu caro.
Noticias sobre a licenciatura de Sócrates, referências às piadas de Mário Lino, abordagens ao carácter bonacheirão de Soares... não podia ser nada... se não lá ia ameaça de processo para cima....
Tinha duas soluções: ou mudava de Terra; ou mudava de Blog....
Que atraso de “mão”: Em 1946, a Assembléia Geral de Nações Unidas já definia a liberdade de expressão como "a base de todas as liberdades às quais as Nações Unidas está consagra.
A liberdade de expressão e opinião é um direito; “este direito inclui a liberdade de sustentar opiniões sem interferência e de procurar, receber e dar informação e ideias através de qualquer meio e sem importar as fronteiras."
Estou fora da minha Terra há já uns anos.
Fica a pergunta: será que a minha Terra já tem alguma coisa a ver com a Venezuela de Hugo Chávez?...
Entretanto, caro blogueiro, se puder vá-se aguentando...
Umabraço

António Agostinho disse...

Com as coisas assim, no anonimato, é impossível saber aos administradores do blog quem é o verdadeiro tó (da lota)....
Somos adeptos da liberdade. É certo que rejeitamos inúmeros comentários baseados em critérios nossos. Mínimos. Mas há limites que não devem ser ultrapassados, até porque não ignoramos que há oportunistas que já conseguiram tirar algum proveito do anonimato para tentar servir os seus fins... Não somos assim tão ingénuos que não saibamos isso....
Portanto, meus caros tós (da lota) e todos os outros anónimos: fica o convite – ASSUMAM-SE, SEJAM RESPONSÁVEIS PELO QUE FAZEM, COLOQUEM O NOME NOS COMENTARIOS.
Seria uma mais valia para todos. Vamos a isso. Acreditem que não custa nada.

Anónimo disse...

Caro Blogueiro,
O caso não fica resolvido dessa maneira, poderia ainda piorar e seria muito mais grave já que a usurpação de nome, em vez de ser como no meu caso, uma parte do nome, seria uma usurpação total.
Com a chuva que tem caído neste Maio muito diferente de outros, a merda está a começar a vir ao de cima.
Ou se limpa, se ignora, ou se muda de praia.
Entendo perfeitamente a sua posição e a dificuldade em identificar quem aqui lança comentários. O ataque de sósias não é dirigido a mim, mas a si.
É o Blogueiro que está a ser atacado por interposta via.
Na verdade, este mundo tem cada vez mais merda. Temos de calçar as galochas e tirar o ralo. Há-de ir por aí abaixo.