quinta-feira, 24 de maio de 2007

Ao que isto já chegou!..

A avaliação que diferentes pessoas fazem da realidade, pode ser diferente de pessoa para pessoa.
Agora, não confiar nos colegas, não é uma avaliação diferente, é uma questão básica de confiança.
Portanto, no meio de um debate sobre a situação legal das bombas de gasolina, segundo o jornal AS BEIRAS de ontem, ouvir Paulo Pereira Coelho dizer: “é por estas e por outras que não pode haver confiança”, não deixa de ser, no mínimo, estranho!...
Como se pode ler ainda no mesmo jornal, Paulo Pereira Coelho diz mais: a “partir de agora, só por escrito”.
Paulo Pereira Coelho deixou-se de tretas: vai “apresentar requerimentos, em vez de pedir oralmente informações sobre processos da câmara”.
Ao que isto já chegou!.. Por enquanto, tudo indica que as razões de confiança entre os vereadores da maioria na Câmara da Figueira são frágeis...
E ainda faltam dois anos!...

Entretanto, a questão já extravasou.
"A Concelhia tem que tomar uma atitude política sobre a situação", defendeu Jaime Soares, presidente da Distrital do PSD, em declarações ao DIÁRIO AS BEIRAS de hoje.
O presidente da Concelhia do PS, António Paredes, por seu lado, em declarações ao mesmo jornal, manifesta "preocupação e indignação pela falta de estabilidade política que se verifica no seio da maioria". Tira mesmo a seguinte conclusão: "a crise está a tornar a câmara ingovernável e a transmitir uma imagem negativa do concelho para o exterior".
Será que Lisboa ainda acontece na Figueira?...

2 comentários:

carlos radiante, militante de base do psd disse...

"Os drs. Jaime Soares e Marques Mendes já conhecem a minha posição acerca da crise. E sabem muito bem que podem contar comigo para ajudar a ultrapassá-la. Mas que não venham, agora, deitar para cima das minhas costas o ónus da responsabilidade por essa mesma crise!", declarou José Elísio ao jornal.
Então e á gente não diz nada sobre esta crise que nos causa tanta preocupação e indignação pela falta de estabilidade política que se verifica no seio da maioria que sustenta o executivo camarário?..

+ 1 disse...

Juízo teve o simão em São Pedro: criou a “União Nacional local”, partido e pensamento único.. A sua criação teve o intuito de fazer a transição entre o status e o estado novo de estar na política local. Pelo meio fica uma forte e estreita e frutuosa ligação ao executivo camarário. Tem o pequeno senão de a sua acção ficar controlada pelo Presidente da Conceliao do PSD na Figueira da Foz, mas isso é apenas um pequeno pormenor.... Tudo perfeito. Aprendam que o simão não dura sempre.