Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

terça-feira, 3 de outubro de 2006

O preço das obras da nova Ponte dos Arcos

Fotos:PEDRO CRUZ



Está em curso a empreitada de substituição da Ponte dos Arcos.
Poeira, ruído, ocupação de passeios e via, por vezes arreliadoras filas de trânsito fora da época alta, vão ser o prato do dia, nos próximos dois anos, aqui pela Cova-Gala.
É o preço das obras.
Espera-se que seja feito o melhor possível, por parte da empresa construtora, para diminuir os inevitáveis incómodos.
Já agora, que esta obra seja a excepção à regra em Portugal. Isto é , que se cumpram os preços e os prazos previstos no caderno de encargos.
A nós, habitantes locais, resta-nos ser compreensivos e encarar com normalidade os transtornos que estas obras nos irão causar.
O futuro vai ser melhor.

9 comentários:

Anónimo disse...

Para fazer uma pontezeca, vejam lá o que aqui está.
Uma barraca de todo o tamanho e ainda a procissão vai no adro.
Se forem engenheiros destes a fazer os cálculos para as obras de defesa da praia, preparem-se e vão pondo as barbinhas de molho. Vai ser pior a emenda que o soneto.

Anónimo disse...

Excepção à regra? Aqui em Portugal?
Oh Dr. Agostinho, o senhor não estará a ser muito, demasiado, eu diria exacerbadamente, optimista?

Anónimo disse...

A culpa é do simão claro! tudo é culpa dele!

Anónimo disse...

Parece que a carapuça serviu a alguém...

Anónimo disse...

O sombra, a tratar da publicidade.
03/10..19:20.

Anónimo disse...

Como eu digo, estão aqui comentários de categoria. Por muito simples que seja o assunto, com aspectos à vista de todos, esta malta não é capaz de fazer um comentáriozinho que se leia.
Nunca mais evoluem.
E depois queixam-se.
Talvez o Blogueiro tenha de baixar ainda mais a dificuldade dos assuntos que aqui traz. Que tal deixar-se ficar só pelo futebol?
Disso qualquer mentecapto percebe.
Ou do Noddy.

Anónimo disse...

Esta é uma situação intolerável para tão longo período.É prejudicial para residentes de cada lado do rio, é preocupante para o acesso ao Hospital e tremendo para os que visitam a Figueira. NÃO PODE SER. HÁ QUE ENCONTRAR UMA SOLUÇÃO PROVISÓRIA. Isto, assim é terceiro-mundista!

Anónimo disse...

estou pasmada...mas mesmo pasmada com alguém que espera que as obras públicas decorram dentro de prazos...recordo-lhe o tunel do Rossio...enfim...
Já agora que as obras começaram, alguém me explica porque é que no plano aprovado para os acessos da ponte da Figueira na zona sul estes não incluiam a passagem dos acessos sul pela actual zona da Ponte dos Arcos?
uma coisa que o mê Iselindo nunca me soube explicar muito bem! estou cá a matutar que aqui houve alguma marosca! Ou estou enganada?

Anónimo disse...

Claro que houve marosca!
Gamaram a massa que era destinada ás obras. Quem abocanhou a maior fatia, foi o sr. marocas bochechas.
Foi aí que começou a saga dos "trabalhos a mais" que servem para sugar as massas antes de acabada a obra. Depois, ou fica a meio ou arranja-se uma solução mais barata. Só não se poupa nas comissões. Aí, não. Pelo menos, foi o que me disseram.