"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

quarta-feira, 25 de outubro de 2006

Mais um mês... E vão seis! ...







“A participação dos covagalenses na discussão e troca de ideias sobre os problemas da sua Terra é uma manifestação democrática e saudável de inegável interesse cívico. Foi esse o espírito dos que pensaram, criaram e mantêm este espaço.”




Este, foi o objectivo - fundamental e único - que presidiu ao nascimento do OUTRA MARGEM.
Curiosamente, porém, quem não gosta de nós – e, isso é salutar – em vez de questionar os nossos textos, as nossas opiniões, as nossas reportagens ou as nossas fotografias, limita-se a tentar passar a mensagem que isto é um Blog maldito!...

Só que o papão já não existe.
Segundo Derrick De Kerckkhove, “a luta política não mais se fará entre direita e esquerda, mas entre quem vê televisão, sem uma resposta, e quem acede à Net, com uma informação muito mais completa, e que todos podem gerir e alimentar”.

Isto é, “a eficácia de uma democracia é sempre proporcional à sua capacidade de gerir informações”.
Isso mete medo aos populistas, pois eles sabem que “o governo da “multidão” revela-se desordenado e caótico”.
É que, cada vez mais, “a credibilidade política passa pela transparência. E a transparência passa pela informação.”

Seis meses decorridos, o OUTRA MARGEM vai continuar da mesma forma despretensiosa.
O nosso objectivo é simples: contribuir para que os covagalenses deixem de ser consumidores passivos de notícias e boatos.
Há muito caminho para percorrer...


10 comentários:

Ricardo disse...

Isto de andarem a festejar mês após mês dá a impressão que andam a lutar pela sobrevivencia na Blogosfera, o que não me parece ser o caso.

Parabens pelo Meio-Ano de vida!

Anónimo disse...

Atão, a mentalidade não dá para mais.

Anónimo disse...

Num post anterior um comentário meu não foi publicado e penso com toda a razão de não o ser.
Tenho a noção que usei vocabulário impróprio.
Desde já peço desculpa aos responsáveis do blog.
O acto de pedir desculpa não é nenhuma vergonha.
Por isso queria felicitar o Outra Margem pelo excelente trabalho que tem vindo a realizar ao longo do tempo, pois tem sido importante para a Freguesia de S.Pedro.
Espero que continuem com esta atitude.
Um abraço do amigo Barbas.

Anónimo disse...

Amigo barbas como é fácil de perceber o problema esteve só no vocabulário impróprio.
abraço retribuído

Anónimo disse...

Olha estes maduros a comemorarem 6 mesitos de vida...
Mas o que é lá isso!...
Na minha idade, 6 mesitos é nada. Já cá cantam 90 e teka!... Eh..eh..eh...
Atravesssei tempos difíceis...
Em verdade, em verdade, vos digo, meus ricos meninos!..
A democracia pode estar como eu – cheia de maleitas - talvez até tenha nascido assim...
Mas nunca foi tão apetecível, tão atraente.
Isso digo-vos eu, que apesar da minha idade ainda cá tenho o meu gosto.
Basta ver o número crescente de Estados que a adoptam. Até em África e na América Latina isso está a acontecer.
Mas Democracia tem que ser mais que uma marca publicitária sedutora, a prometer-nos direitos, voz, participação...
Mas Democracia tem mesmo de ter sentido único... Não há alternativa!...o oposto é a ditadura ou o fundamentalismo!...
O velho Churchill, que ainda foi do meu tempo, é que tinha razão : "De todas as más formas de governo que conheço, a democracia continua a ser a melhor."
Espero é que a Democracia esteja de melhor saúde que eu!.
É o ácido úrico, é o costrol, são os rins, são as pernas, é a vista, é a surdez... Pro que uma mulher fica guardada no fim da vida!...
Bom tenho de me aguentar à bronca – e sozinha... Quem é que tem dinheiro pró geriatrico!..
Só mesmo a ti hortensia! Sortuda....

Anónimo disse...

O Churchill disse outra coisa, mas quer dizer mais ou menos isso. Mas quando se referia a democracia, nunca lhe passou pela cabeça que os portugueses chamassem a este regime, uma democracia. Isto NÃO é uma democracia. Podia ter sido, mas a comunada deu cabo disto no princípio e agora não há remédio.
Mataram-na logo à nascença.

Anónimo disse...

Ai que a Dona Martinha andou na mesma escola que eu! Isto a vida são dois dias e ano após ano as coisas vão se cumpondo. Com seis meses aqui os senhores do Blog já comeram daquele pão que nem o mê Barrabás comê. E se o mê Iselindo por cá andasse inda iamos cumemorar com uns charabanecus fritinhos e um vinhito deste nobu que a ti hortênsia inda é bem capaz de beber o sê copito pra cumemorar. Entã lá vai um grande abraçus de parabéns aqui do pissoal do Centro, a dona gertrudis, o sinhor Ildefonso e a Dona Gumercinda mandam também abraçus pra todos e se ouber festa já sabem cunbidem a gente que a gente vamus todos...Oh! se bamos velhotes, mas finotes. Éssa é que eça...Ai que agora lembrei-me do Eça Dona Martinha, que nas suas afiadas Farpas dizia assim cumu eu lhe escrevo, então escrebia assim o senhor Eça a própósito de tudo e a propósito de nada ( qu eu sei que a senhora m'intende munto bem!)então dizia ele assim " Aqui estamos pois diante de ti, mundo oficial, constitucional, burgês, proprietário, doutrinário e grave! Não sabemos se a mão que vamos abrir está ou não cheia de verdades. Sabemos que está cheia de negativas. Não sabemos, talvez, onde se deva ir, sabemos decerto, onde não se deve estar. Donde vimos? Para onde vamos? - Podemos apenas responder: Vimos donde vós estáis, vamos para onde vós não estiverdes." Peço desculpa de ir mal escrito mas foi o senhor Eça que escrebeu. Passem bem e aprendam a ser felizes coma nós!

Anónimo disse...

Ó sôr dótor Agostinho, essa cousa de democracia é muito complicado, nem é para qulqueer um intender. Beja o causo daquele poeta, o alegre, que cria ser prasidente, que ora ataca o goberno, que não presta, que coisa e tal, e óspois diz que bai botar aquela cousa do orçamento, que nem sei o que será, mas é desse tal goberno.
diga-me lá, quem pode intender isso?

Anónimo disse...

Isto está uma foleirice. Não sabem comentar nada e vêm com este tipo de naívismo. Foleirice folclórica.
Uns rusticos.

Anónimo disse...

Então ai o 26 de Outubru barra 00.08 chama foleiro naívistas foloeiros e foclórico e rústicos. Caro/a internauta você é português? Então, repare bem, está a ver-se ao espelho! Mas eu ainda olhando para si acrescento a cretinice e a pedantice que emerge da sua escrita tão característica do portuguesinho enfiado e cofiado!