domingo, 24 de fevereiro de 2019

O problema dos "microplásticos" no mar e nas praias

Desde a década de 70 do século passado que os cientistas alertam para o seguinte:  os "microplásticos" são um problema para os Oceanos.

Em Portugal há poucos estudos, mas quem gosta de dar passeios pelas praias está em condições de saber que é assim.
Na Figueira, apesar de algumas iniciativas desgarradas e avulso, esse parece não ser um assunto que preocupe as entidades responsáveis.
Falta o essencial. A limpeza sistemática (em especial de Outubro a Abril, quando há mais plásticos na areia) das praias, usando máquinas e mão-de-obra local. O maior desafio seria localmente transformar estes plásticos (e outro lixo exótico) em artesanato e objectos com valor.
A Câmara Municipal da Figueira Foz limpa as praias no verão, somente as concessionadas ou muito frequentadas. No resto do ano não há preocupação séria com este assunto.
O mesmo relativamente às águas pluviais, pouco se faz para evitar que os plásticos entrem nos "boeiros", sendo o destino desse lixo o mar.
Esta manhã, na praia da Costa de Lavos, como escreve o Luís Pena, "ficámos impressionados com as micro partículas de plástico existentes no areal. Em pouco mais de uma hora, apanhámos a quantidade de plástico que os sacos da foto evidenciam. Vamos repetir esta acção, em breve no Cabedelo!"

Uma praia limpa tem outro encanto.

Fiquem atentos...

Há tanto para fazer!


Nota
Contributos na feitura desta postagem: 
João Vaz, via o blogue Ambiente na Figueira da Foz.
Luís Pena.
Isabel Maria Coimbra.

11ª e 12º. crónicas na Rádio Litoral



Coisas realmente importantes: continua a mama do carnaval...

Imagem via Diário de Coimbra
Pedro Barroso e Vanessa Alfaro, em 2019, os reis de Carnaval de Buarcos e Figueira da Foz, chegaram na tarde de ontem  à cidade, via comboio. A seguir, foram recibos pelas escolas de samba figueirenses e no salão nobre pelo presidente do Município da Figueira da Foz, João Ataíde. Suas excelências e também «altezas reais carnavalescas» rumaram depois a Buarcos. Diz quem assistiu, que houve  discurso na varanda do Grupo Caras Direitas, tendo o presidente , da Câmara Municipal da Figueira da Foz,  Dr. João Ataíde,  aproveitado para, simbolicamente,  entregou as «chaves da cidade»  aos temporários «soberanos».
A câmara faz muito bem em dar toda esta atenção, importância e a tolerância de ponto no Carnaval. Os figueirenses deveriam aproveitar para gozar com o presidente da câmara e com os vereadores: todos, da situação e da oposição.
Nem se teriam de esforçar por aí além para caricaturar o Monteiro como uma amostra de putativo candidato a presidente, a Ana Carvalho como uma Santa, o Nuno como ele é, a Mafalda como uma competência, desportivamente falando e o Miguel, como o óptimo e potente piripiri que produz. Na oposição teríamos o Tenreiro, acompanhado pelo Babo e um by pass. O Ricardo poderia ser portador de uns frascos de sais de frutos. O presidente Ataíde, seria apresentado como um líder musculado, tipo obreiro.
A Câmara faz muito bem em financiar tão generosamente o carnaval. O tempo, para os figueirenses, não está para férias na neve ou para debandadas em direcção ao Algarve. E a Figueira precisa de se divertir.
A bem da concelho, viva a Câmara, viva o presidente. Viva o Carnaval, vivam os reis!
A cereja em cima do bolo seria os figueirenses, aproveitando o carnaval que é a época em que se pode brincar sem suas excelências levarem a mal, para rifarem o presidente e oferecerem  o vice  como bonificação.