Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Esta nossa barra continua numa situação crítica...

Parceria tripartida retira três milhões de metros cúbicos de areia da praia

 

"A Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a Administração do Porto da Figueira da Foz e a autarquia vão lançar uma empreitada para a transposição de três milhões de metros cúbicos de areia do areal urbano para as praias do sul do concelho. A primeira etapa, contudo, será o lançamento do concurso para a elaboração do projecto e do estudo de impacte ambiental, que arrancam esta ano.
Parte da areia retirada será injectada directamente nas praias mais afectadas pelas erosão costeira. A restante será depositada na zona de rebentação, com  marcadores,  para  posterior monitorização que permitirá seguir a deriva dos sedimentos, servindo como base para operações  futuras  de  transposição de areias com  rigor  científico. 
Aquele estudo nunca foi feito.

A participação financeira da autarquia na empreitada é de 1,2 milhões de euros. Por sua vez, a administração portuá-ria suporta 2,4 milhões de euros, cabendo à APA assegurar o restante até chegar aos 19,3 milhões de euros da empreitada. As três entidades beneficiam de cofinanciamento europeu.
A envolvência do município na empreitada foi votada na reunião de câmara, tendo sido aprovada com os votos da maioria PS e do vereador do PSD Ricardo Silva. “Esta proposta é a única solução estudada para o curto prazo e de imediato vai resolver o problema da erosão costeira e vai permitir maior segurança para as embarcações de pesca”, sustentou Ricardo Silva, na declaração de voto.
Tenreiro e Babo votam contra. Estes dois vereadores eleitos pela lista do PSD  (sem confiança política do partido),  levantaram objeções políticas e dúvidas técnicas. Confrontaram também a maioria socialista sobre a alegada dualidade de critérios, ao não concordar pagar o estudo do sistema de transposições de areias (bypass), uma proposta dos dois autarcas, e cofinanciar a referida empreitada.
A maioria do executivo camarário respondeu que o estudo do bypass é da exclusiva responsabilidade da APA e que a empreitada em questão envolve uma parceria alargada. Por outro lado, a vereadora Ana Carvalho, disse que aquele estudo e a transposição de areias podem decorrer em simultâneo.
Tenreiro e Babo defenderam que o estudo do bypass deve-ria preceder a retirada da areia do areal urbano, sustentando que os resultados determinariam as medidas a tomar. 

Via DIÁRIO AS BEIRAS

Sem comentários: