quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

2019 é o ano da despedida de CARLOS DO CARMO



           Esteve mais de 57 anos em cima de palcos, com espectáculos por salas dos cinco continentes. Agora, aos 80 anos, Carlos do Carmo entende que é hora de terminar a carreira, mas não sem antes lançar um novo disco perto do final do ano e dois concertos nos Coliseus. OBRIGADO.

Que raio de democracia é esta?


 Imagem sacadas do jornal AS BEIRAS
A PARTIR DE 4 DE NOVEMBRO DE 2013 PASSOU A PAGAR-SE ESTACIONAMENTO NO HOSPITAL DA FIGUEIRA...
Só que a partir de 14 Dezembro p.p. a exploração passou a reverter para um privado!
Por experiência própria, com o passar do tempo, fui dando conta que as virtudes da democracia estão inflacionadas. E os benefícios, para a maioria, idem, idem, aspas, aspas. Considero uma afronta e atitude vil a ingerência de certos países na vida de outros, procurando, à força de embargos, de bombas, ou de leis impostas pela força, torná-los democráticos. 
A democracia não se impõe: cultiva-se e desenvolve-se. Como na conhecida história do ovo, a pressão tem de vir de dentro, para que sobreviva, não de fora, opressora e castradora. 
Há países que não estão preparados para a democracia. Não reconhecer tal hipótese, é não somente ingénuo como perigoso. 
Veja-se o caso de tantos países Africanos: de que lhes serviu a democracia até aqui? 
E há ainda aqueles para quem a democracia pode não compensar o investimento. A democracia é cara...
A democracia, como podemos constatar pela maioria absolutíssima que detém o poder na Figueira, pode também significar o poder nas mãos de uma maioria democraticamente incompetente.

Reparem na imagem: um pequeno pormenor prova que uma foto diz mais do que mil palavras...

A Rua Voz da Justiça, na freguesia de Tavarede

Foto: Município da Figueira da Foz
"Foi inaugurada, no passado dia 03 de fevereiro. Adjudicada pelo valor de 134.000.00€, veio complementar uma intervenção já iniciada no mandato anterior, tendo ficado por concluir o troço agora inaugurado, situado entre a Igreja de Tavarede e o Paço de Tavarede.

Uma obra considerada exemplar por parte do actual presidente de junta, Fernando Lopes, que veio dar resposta a problemas dos tavaredenses, ao nível do escoamento de águas pluviais e do saneamento.

O presidente da autarquia referiu tratar-se de mais uma obra que respeita o peão, em detrimento do trânsito automóvel, situação à qual o executivo é bastante sensível."

Confesso que, ao olhar para a foto,  fiquei com muitas dúvidas
Eu sei que um dos  problemas da Figueira de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas e as pessoas idiotas estão cheias de certezas!..

Na Figueira é a mesma coisa: desde que se tenha "pilim", as portas abrem-se...

Isaltino Morais na festa da SIC...

Fotografia: Tiago Miranda@Expresso
"A SIC tem uma nova casa, em Paço de Arcos, e, como seria de esperar, fez uma festa de inauguração à qual nem Marcelo Rebelo de Sousa faltou, quiçá na esperança de se cruzar com a amiga Cristina, que a senhora deve ser mais difícil de apanhar do que o próprio Presidente da República.

Quem também não faltou ao certame foi Isaltino Morais, autarca lá do sítio, que, após vários anos de azáfama, durante os quais esteve preso, 14 meses numa prisão a sério e, posteriormente, no confortável conforto do lar, por crimes que são sobejamente conhecidos e que não o impediram de ganhar as autárquicas de 2017 com uma esmagadora maioria absoluta, viu a sua vida regressar à normalidade, como se nada tivesse acontecido.

Portugal é um lugar estranho. Um lugar estranho onde o ecossistema político, com a  raríssima excepção de um ou outro robalo, levita sobre o plano terrestre, onde se movem os comuns mortais, em bicos de pés para que ninguém repare o quão acima das suas possibilidades vivem. Mas tudo está bem, quando acaba bem, não é mesmo?"

“Made in Figueira da Foz”...

A Figueira é um concelho miserável. Tem o que merece!

Para ler melhor, clicar na imagem

Anda qualquer coisa no ar que não consigo entender...

Para ler melhor clicar na imagem
Para mim, o acto de fé na natureza humana é menos uma crença do que uma necessidade pessoal.
No dia em que perder a confiança nas potencialidades da natureza humana, só me restará resignar-me a viver na hipocrisia. 

Porém, notícias como esta, ontem publicada no DIÁRIO AS BEIRAS, conseguem levar aos limites a minha construída capacidade de acreditar que em todas as pessoas, em todas sem excepção, há uma centelha de humanidade.

Nada se torna tão nosso como os sítios onde nos querem impedir de voltar...