Ernest Hemingway: «Um homem pode ser destruído mas não vencido.»

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Sobre o Orçamento Participativo: "anemia democrática"

"A Figueira da Foz aderiu a esta iniciativa em 2015 (após proposta da vereação do PSD). Nas 2 edições já realizadas estiveram à votação 11 e 13 projetos. Esta semana ficámos a saber que este ano os figueirenses vão poder votar entre 4 (quatro) projetos. É um falhanço rotundo em termos de participação. Razões para isto?  Talvez a falta de conhecimento sobre a dinâmica, a fraca divulgação, a complexidade da regulamentação e da participação, a falta de liderança eficiente do projeto, ou a reportada resistência por parte dos presidentes de Junta (!) que vêem tal iniciativa como uma ameaça à democracia representativa. Pelos vistos, o dinheiro não é tudo já que disponibilizar 300.000€ não é suficiente para pôr os cidadãos a pensar na sua rua, na sua freguesia ou no seu município e perguntar-se «O que é preciso aqui?»

João Armando Gonçalves, professor do ensino superior, hoje no jornal AS BEIRAS

Nota de rodapé.
Disse alguém, de que não me lembra agora o nome, "que um dos primeiros erros do mundo moderno é pensar-se que as coisas passadas não podem acontecer de novo". 
Pelo que observo, muita gente dá por adquirida a liberdade que vivemos.
Porém, ao ver o desinteresse dos mais novos pela participação democrática, temo muito pelo nosso futuro colectivo.
Hoje ninguém se atreve a aplaudir o unanimismo. 
A vida é feita exactamente de diversidade que se deve manifestar em todos os domínios. 
A troca de ideias e a discussão civilizada não nos devem perturbar, antes devem ser a regra a seguir como a atitude insubstituível.
Por isso, tenho mais do que razões para andar preocupado com o que se passa na minha cidade, quando deparo com situações como esta... 

Sem comentários: