"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

domingo, 21 de junho de 2009

Cova-Gala já tem direcção

Realizou-se ontem, pelas 15horas e 30 minutos, na sede do Grupo Desportivo Cova-Gala, na presença de 21 sócios, a Assembleia-Geral Extraordinária convocada pela Comissão Directiva, tendo a seguinte ordem de trabalhos:


1.Eleição de Novos Corpos Gerentes para o biénio 2009/2011.
2. Tratar de Quaisquer Outros Assuntos de Interesse para a Colectividade.


Depois de lida a última acta (nº63) abstiveram-se duas pessoas, Carlos Simão e Nelson Gafanhão alegando a sua abstenção devido ao facto de não estarem presentes no dia 13 de Junho, data da última Assembleia.
Relativamente á eleição dos novos corpos gerentes Fábio Silva recandidatou-se. Tó Samuel destacou a determinação e empenho do presidente do Grupo Desportivo Cova-Gala “ O Fábio andou a semana toda a trabalhar para a nova direcção só assim é possível hoje apresentar esta lista.”
Fábio Silva deixou claro que foi difícil constituir esta nova direcção, contudo, está satisfeito com o resultado “ foi bastante difícil encontrar esta nova direcção, mas arranjou-se pessoas de trabalho e responsáveis, é o que se quer. Só nomes não interessa…”.
Fábio Silva não deixou de parte a possibilidade de ainda surgir algumas alterações na direcção “ ainda pode haver algumas alterações, ou seja, contactei algumas pessoas e pediram-me algum tempo para pensar.”
A nova direcção é constituída por: Presidente - Fábio Silva, Vice-presidente - António Samuel, 1º secretário – Paula Lima, 2º secretário – Rossana Gomes, Tesoureiro - Lurdes Pereira e os vogais, João São Marcos, José Pereira, Nelson Gafanhão, Luís Mano, Milton Gomes, José Pimentel, José Conceição, João Gil e Marina Almeida. A Assembleia Geral é constituída por: Presidente – Luís Pedro, Vice-presidente – João Gomes, secretário - Rute Silva, Vogal – Bruna Espada e Fábio Reis. O conselho Fiscal é presidido por João Camarão, o vice-presidente é o Rui Camarão, e o relator a Daniela Soares.
Outros elementos que irão ajudar o Grupo Desportivo Cova-Gala são o Sr. Pedro Menezes e o José Vidal “ O Sr. Pedro não quis fazer parte da direcção, no entanto, mostrou-se disponível para ajudar esta colectividade, tal como o Vidal.”
Fábio Silva, promete trabalho “ a promessa que faço é que iremos trabalhar, isto é, fazer melhor do que foi feito nestes dois últimos anos, e claro tenho a certeza que vamos ganhar…”
A direcção foi aprovada por unanimidade.
O presidente da Junta de Freguesia Carlos Simão proferiu algumas palavras de apoio e incentivo á nova direcção “ O Cova-Gala tem tido grandes sucessos ao longo do tempo, sendo a sua maior vitória o trabalho contínuo que tem vindo a fazer. O Fábio surpreendeu-me pela positiva, é preciso coragem para assumir as coisas, e ele tem. Os manos Camarão são mais um excelente exemplo de pessoas que se dedicam ao clube. Ao contrário das outras colectividades aqui faz-se algo bom. Aqui é diferente, ou seja, requer-se esforço, dedicação, amor e carinho”
Carlos Simão mostrou-se disponível para dar “uma nova imagem” ao Grupo Desportivo Cova-Gala “ Era muito mau se o Cova-Gala acabasse, a autarquia está ao dispor da colectividade. A nossa função não é estar dentro das colectividades, mas sim apoiá-la. A Junta quer que o Cova-Gala tenha melhores condições, ou seja, uma nova imagem. Contudo planos de fundo é complicado, e não competem só de nós. A questão do campo de relva sintética é um assunto que esta em cima da mesa.”
Rui Camarão, técnico da equipa sénior felicitou a nova direcção. No entanto, mostrou-se consciente das condições que o Cova-Gala tem na prática para elaborar o seu trabalho “ Quero felicitar a nova direcção. A qualidade do trabalho da direcção tem reflexo nos resultados desportivos. O trabalho desta colectividade é incomparável com qualquer outra desta terra. Não aceito, e revolta-me que o Cova-Gala tenha piores condições do que outros clubes, se evoluímos temos de acompanhar essa evolução a todos os níveis. Com estas condições de trabalho julgo ser inédito um clube fazer o que o Cova-Gala faz…”

2 comentários:

Miguel Costa disse...

Conforme já tinha referido é com satisfação que constato que o Cova Gala continua a ser um caso à parte a nível da freguesia de S. Pedro, como colectividade amadora que mantém actividade útil e de interesse para a comunidade.
Pese a dificuldades e fracos apoios oficiais (eram diminutos e nos últimos anos ainda foi possível reduzi-los), vai com esta eleição de certeza continuar a ser um exemplo (infelizmente único) de associativismo útil.
Neste clube os politicos podem estar descansados pois as verbas que lhe são atribuídas, são efectivamente aplicadas em prol do clube, na tentiva de oferecer a todos os seus atletas, sócios e visitantes as melhores condições possíveis.
Nunca percebi a logica dos apoios da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia em relação ao Cova Gala, julgo que o montante e periocidade dos apoios a atribuir às colectividades deviam ser condizentes com as actividades de cada uma e com as mais valias que as mesmas oferecem às populações.
Salvo melhor opinião, não entendo como se podem dar apoios do mesmo nível (e nalguns casos superiores) a colectividades que o são apenas durante 15 dias, sendo nos restantes 350 apenas mais um café ou algo do genero.
Estes apoios devem ser responsabilizantes, tanto para quem dá como para quem recebe. Se quem dá continua a dar ano após ano só porque é "tradição", só está a desresponsabilizar essas colectividades, que tanto podem fazer mil eventos ou nenhum que o dinheirito, esse está garantido.
Esta politica apenas prejudica (os orçamentos não esticam) quem cumpre verdadeiramente o papel de uma colectividade como o G. D. Cova Gala.
Reparem, e julgo não estar enganado, mas os apoios monetários recebidos pelo Cova Gala nos últimos anos, não dão para pagar as contas da electricidade, água e gasóleo, "bens" chamados de primeira necessidade.
Esta não é a realidade dos outros clubes de outros concelhos.
Com a crise actual será extremanente dificl o clube continuar a sobreviver (pois aqui a QUESTÃO é mesmo de sobrevivência, nem pensar em desenvolvimento), através dos patrocinios e publicidade.
Se as entidades oficias (Câmara e Junta) não refletirem no seus apoios o verdadeiro valor e papel desempenhado pelo G.D.C.G., de certeza que o próximo ano será extremamente complicado para o Fábio e seus pares.
A ele e à sua equipa desejo de sucesso e que também tenham a arte e o engenho de demonstrar a quem de direito a consistência e o valor do Cova Gala.

o comendador disse...

Louvo a coragem do Fábio e do Rui Camarão,por finalmente se assumirem publicamente e sem receios dizerem as verdades que há muito tempo já deviam ter sido colocadas em "cima da mesa".
Não deixo de assinalar também e como não podia deixar de ser,o "recuo" na conduta incorreta de pouca atenção do presidente da junta de freguesia (Carlos Simão)para com o Grupo Desportivo Cova-Gala nos ultimos tempos.
Fica provado que a "sobserviência" não é a unica estratégia para obter resultados, e mais provado fica que estes dirigentes do Cova-Gala, alguns que eu conheço desde jovens estão a crescer a olhos vistos em postura, com uma forma humana personalizada e capaz de honrar o passado deste clube.
Aceito que "intervenções de fundo" da junta na criação de uma melhor imagem para a colectividade,seja de facto complicado,face ao atual momento económico geral.
Agora a construção de um sintético estar "em cima da mesa" já me agrada e fica como uma promessa de Carlos Simão para o futuro,se fôr eleito de novo claro está...
É assim,quem gosta do futebol como eu gosto só pode ficar feliz quando as pessoas se entendem,porque isso é um sinal de serviço publico consolidado e conjugado,e só assim se pode fazer crescer o futebol no concelho da Figueira da Foz.
Vou tirar a cópia desta postagem e guardar para "memória futura".

O Comendador