sábado, 22 de julho de 2006

ORBITUR – o pioneirismo no campismo na Cova-Gala





O Parque de Campismo Orbitur, situado em plena Mata de Lavos, quase no extremo sul da Freguesia de S. Pedro, desde 1962, começou com uma dimensão de 2 hectares e apenas com um bloco sanitário e alguns (poucos) Bungalows.
Nos dias de hoje, as exigências impostas por esta forma de fazer turismo, obrigaram à evolução e ao crescimento.
A área ocupada expandiu-se. Passou para 8 hectares.
As infra-estruturas, naturalmente, também tiveram de acompanhar a expansão: 3 blocos sanitários, 2 piscinas, sala de jogos, supermercado, bar, restaurante e um maior número de Bungalows e a implantação de Bangalis, campo de futebol de 5, campo de ténis, campo de basquete e mesas de ping-pong, constituem apoios imprescindíveis para quem, nos dias de hoje, faz do campismo e caravanismo uma forma de usufruir os tempos livres.
Este Parque de Campismo, já com 44 anos de vida, com praia a 400 metros, continua a ser uma estrutura de referência no acolhimento aos visitantes da nossa Freguesia.
(Texto e fotos de Pedro Cruz)

9 comentários:

Pombalense disse...

Ora aqui está uma boa razão para acelerar a construção da ponte nova e deitar a outra abaixo.
os turistas e campistas utilizadores dos campings vêem-se constrangidos a passar mais tempo do que queriam nesta por estas bandas. Utilizar a praia e o camping, sim senhor. Mas férias são férias e também é preciso ir de vez em quando até à civilização. A nova ponte será uma mais valia para que as pessoas se possam deslocar até à Figueira da Foz, Buarcos, Quiaios e mais para norte até à Tocha e Mira.

Dino disse...

No mesmo dia soube do homem, que tinha fugido com a brasileira de bordel, a quem todos unanimemente chamaram de desditado, soube do homem frágil que negava a pés juntos ser capaz de amar uma perdida, mas que amava, mas que se apavorava por ficar só, só com o amor da perdida e o espectro da solidão e que por isso negava tudo com juras por todos os seus seus que quis manter seus. Soube do homem precocemente subtraído ao pensamento que mantinha os sonhos passados, agarrado à vida, transpirando, adormecido uma vezes, outras de olhar terno lançado indistinto, fixado subitamente nos olhos dos pequenos descendentes onde se lembrava dos olhos dos filhos. Soube que lhe pediam mais, porque há sempre mais que se pode dar quando se pressente mais, ainda que o mais não baste, nem sequer sobre, nem sequer se esgote nos quases que, por causa dos mais, se eternizam em sucedâneos de tudos que nunca chegam. Ou tardam.

Anónimo disse...

Mas, disseram-me alguns utilizadores, que ao princípio da noite o ataque de melgas e mosquitos é devastador. Não haverá forma de o evitar?

Dino disse...

Há pois! Em vez de virem para aqui, vão para sítios onde não haja esse problema. com o perfume que há nesta terrinha, como não há-de haver mosquitos? Nem na ersuc há tantos.

Lolita (da Vodafone) disse...

Também me disseram o mesmo. Mas também é assim no outro parque de campismo e em toda a zona da povoação. Deve ter aver com os esgotos e falta de limpeza dos canos. nota-se um cheirete logo à entrada e já há muitos dias que é assim. às vezes até na praia cheira mal. Deve ser das águas.

domingosdospassarinhos disse...

Quando se fala neste Parque de Campismo não podemos de deixar de prestar uma homenagem a um Homem com pouca instrução (penso que teria a 4ª classe, mas era um auto-didata em vários campos -- falava o francês correctamete)e que deu o primeiro grande impulso na modernização do parque e que era querido de todos os campistas. Estou-me a recordar do saudoso Adolfo Figueiras Carracho, que durante muitos anos foi o Encarregado deste parque.
Foi com ele que o parque teve o grande impulso, com o aval da Administração da Orbitur.
Tive o previlégio de conviver muito de perto com este simples Homen do povo, que penso ter começado a sua vida como barbeiro e além de conseguir falar francês quase correctamente, também falava razoavelmente alemão e era um poeta popular, com poemas muito bonitos, mas não divulgados.
Peço desculpa aos responsáveis do "bolg",mas sempre que se fala da Orbitur, não podemos deixar de associar o Sr. Adolfo Carracho, como ele era mais conhecido.

Zé dos percebos disse...

O que não falta por aqui é melgas ...
Não é?
gostei Pedro

barbas disse...

Talvez serei suspeito mas no meu ver penso que seja um excelente parque !!!
Quanto ás melgas contribuía muito que alguém se preocupasse com as marinhas do sal ...
Um abraço para vocês ...
Deixem jogar o Mantorras !!!

Lino da EDP disse...

Eu preocupo-me e que é que adianta?