"Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha." - Confúcio

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Mercado de Buarcos, pequenino mas onde nada falta, nem sequer a simpatia

"Arejado, sem atropelos e onde nada falta, dos bens essenciais. 
No Mercado de Buarcos, são poucos os vendedores, mas o negócio vai-se fazendo, em alguns casos, quase personalizado, pois conhecem as clientes pelos nomes e chegam a telefonar, quando aparece algum produto que sabem que é da sua preferência. É o caso de uma das bancas de peixe. 
«Ainda nem pedi e ela já me está a amanhar o peixe», diz Maria José, cliente assídua de Margarida (Guida) Verderame, uma vez que reside ali perto, na Praia de Buarcos. «Não compro nunca nos supermercados, aqui a qualidade do peixe é diferente», diz, conhecedora, já que a mãe vendeu peixe durante mais de 50 anos em Coimbra, o pai foi pescador e o marido motorista marítimo. Por isso, «sei a diferença, quando é fresco», assegura."

Sem comentários: