.

"Como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados socialistas, os estados capitalistas e o estado a que chegámos" na Figueira.

sábado, 11 de julho de 2020

A crise agudiza-se (também) na imprensa: “A Voz da Figueira” ficou em silêncio"...

Via Diário as Beiras
"O semanário “A Voz da Figueira” já não está nas bancas, 67 anos depois da primeira edição. 
O fim do jornal lança para o desemprego três pessoas, duas administrativas e um jornalista."

Para quem acompanha de perto as fragilidades da comunicação social figueirense, nos últimos 40 e tal anos anos, isto não é novidade.  E a situação tem vindo a piorar, ano após ano. Fecho de jornais, despedimento de jornalistas, falta de estabilidade profissional, falta de liberdade, essa foi uma realidade que o próprio autor deste blogue foi acompanhando ao longo dos tempos...
Neste momento, os órgãos de comunicação que focam assuntos figueirenses sobrevivem com as redacções mais "magras", "leves" e "baratas", que é possível. A partir daqui, só se fizer comunicação social sem jornalistas. Crê-se, por isso, que "o pior já tenha passado".

Sem comentários: